Arquivo da tag: Clique à Clique

Fotografia Clique a Clique – O Tão Polêmico Modo Manual

Agora sim! Agora você já tem experiência, já fez milhares de fotografias nos modos mais simples e já compreendeu o raciocínio do seu equipamento em cada situação. Já estudou os efeitos de cada variável do triângulo de exposição e suas interações. Ainda não?

Pra começar a se arriscar no tão polêmico Modo Manual é imprescindível estar familiarizado com cada conceito descrito acima. Se você ainda não está, acesse o link abaixo depois volte aqui:

Fotografia Clique a Clique – Exposição Fotográfica

O Modo Manual

IMG_20150624_135130206Fotografar no Modo Manual significa ter o controle independente de cada configuração do seu equipamento, mas não significa que a cada fotografia será necessário reconfigurar cada variável. Para alcançar alguma destreza na operação manual do seu equipamento será necessário se familiarizar com todos os controles possíveis saber identificar as condições de iluminação do momento da foto.

IMG_20150624_134753082Pode parecer que não, mas também é necessário trabalhar a sua coordenação motora de acordo com os controles manuais. Num momento decisivo de um registro, é importante ter respostas rápidas às mudanças e pequenas diferenças das condições de luz. Por isso, a prática e treino constante são tão importantes.

De forma geral, o modo manual é uma forma “mais lenta” de se fotografar. Se faz necessário que o fotógrafo desenvolva a capacidade de antecipar a maior parte das condições do momento do registro mesmo antes do clique. E não apenas as condições de iluminação, é necessário, basicamete, prever o futuro.

Mas todos esses entraves, essas dificuldade que diminuem a velocidade do processo de criar uma imagem tem seus benefícios. Atualmente a fotografia tem se tornado um processo extremamente rápido, veloz, mas todo o processo manual de operar uma câmera, desperta no fotografo uma das capacidades mais importantes e esquecidas da fotografia: A Capacidade da Contemplação.

Que será o tema da nossa próxima semana!

Fotografia Clique a Clique – O Simples e Prático Program Mode

Existe ainda uma outra forma de fotografar de forma automática mas ainda manter algum controle sobre o resultado da sua fotografia. Sem perder em praticidade, o modo “Program” permite que o fotógrafo escolha a quantidade de luz que deseja captar através da “Compensação de Exposição”. Nesse modo, é possível definir um valor de ISO ou manter ISO Automático, e configurar apenas o “Valor de Exposição”, a partir daí a câmera vai calcular a Abertura do Diafragma e a Velocidade do Obturador.

Compensação de Exposição  – Exposure Compensation

A Exposição é um termo que se refere à quantidade de luz que seu equipamento permite que alcance o sensor além da sensibilidade (ISO) do mesmo. A exposição “correta” é comumente representada  0 (zero) podendo ser compensada positiva ou negativamente.

jatefalei_program_mode (13)Observe as imagens abaixo, todas realizadas nas mesmas condições de iluminação, modificando apenas a Compensação da Exposição.

jatefalei_program_mode (6)

Seu equipamento vai buscar sempre uma relação balanceada entre o tempo de exposição e o valor da abertura, mas pode exagerar em alguma dessas variáveis buscando a compensação deseja. Mas em geral, é uma forma prática de obter resultados satisfatórios.

“Ah, mas eu não tenho uma puta câmera da hora dessas aí!”

E esse é um dos principais benefícios desse modo. Eu já encontrei esse sistema na maioria dos celulares, em muitas câmeras compactas e claro, em todas as DSLRs. No meu celular, ele se apresenta como um controle de exposição, uma pequena “alavanca” digital que posso abrir ou fechar controlando a quantidade de luz que quero captar de forma bem intuitiva. Observe:

Embora limitado, o Modo Program é um avanço para o fotógrafo iniciante, ou permite ao fotógrafo avançado uma forma simples e prática de obter bons resultados.

Fotografia Clique a Clique – Modos Semi-Automáticos

Conforme desenvolvemos nosso olhar na fotografia, surge uma necessidade natural de exercer mais controle sobre nossos registros. Mas fotografar no Modo Manual pode ser bem complexo, envolve muitas variáveis, muita prática e raciocínio rápido, é assustador e frustrante para qualquer fotógrafo iniciante. É questão de treino…

ja_te_falei-modos (1)Se você já sente a necessidade de fotografar com mais controle mas ainda se sente inseguro em definir todas as configurações da sua câmera, existe uma opção, um “meio termo”. São os modos Semi-Automáticos.

1006-2015-124371925630743001O funcionamento é simples, mas exige prática. Você fica responsável por escolher uma variável do triângulo de exposição, enquanto sua câmera escolhe as outras. Você define a Prioridade, e sua câmera define as outras variáveis para alcançar o valor de exposição médio.

Prioridade de Abertura

Antes de Continuar: O que é ‘Abertura do Diafragma’?

aperture_jatefalei- 15Neste modo você controla a Abertura do Diafragma e sua câmera define as outras configurações, como a velocidade do obturador. Ou seja: Se você definir uma abertura ampla, sua câmera vai manter uma Alta Velocidade do Obturador, com uma abertura pequena, a velocidade do obturador será a menor possível.

Este modo é útil em momentos nos quais a sua prioridade é definir a profundidade de campo e o foco, mas pode resultar em imagens tremidas ou com arrasto de movimento se a câmera optar por velocidades muito baixas.

Prioridade de Obturador

Antes de Continuar: O que é ‘Velocidade do Obturador’?

obturador_jatefalei-4Neste modo, você define a Velocidade do obturador e a câmera controla as outras configurações. Ou seja: Se você definir uma velocidade maior, sua câmera vai compensar com uma abertura menor, se você definir uma velocidade menor a abertura do diafragma será maior.

Este modo é utilizado para controlar o arrasto de movimento, se estamos fotografando um objeto estático, podemos utilizar velocidades menores, para congelar o movimento de um objeto, é necessario utilizar velocidades maiores.

Fotografia Clique a Clique – Modos Automáticos de Cena

Agora já entendemos as funcionalidades automáticas da nossa câmera. Sabemos que ela pode operar em Full Auto ou podemos indicar para a câmera que naquela situação, o Flash não é bem vindo.

ja_te_falei-modos (6)E existem outras formas de indicar ao nosso equipamento como ele deve operar, são os Modos Automaticos de Cena. Estas funções são encontradas na maioria dos modelos compactos, modelos avançados e DSLRs. Celulares geralmente utilizam apenas os modos automáticos.

Os modos de cena, são configurações pré determinadas para situações que exigem um tipo específico de funcionamento da sua câmera. Ao invés dela “advinhar” o que está sendo fotografado, é você quem “explica” quais as condições que seu equipamento terá que enfrentar, permitindo assim que este escolha as configurações mais apropriadas para aquela cena.

Aqui vale uma visita ao Post que fiz sobre as opções de configuração da câmera e como elas interagem entre si. Vai lá, não vou sair daqui, eu espero você voltar…

Fotografia Clique a Clique – Prioridades e Interação das Variáveis

Agora vamos entender como a câmera funciona nos principais modos de cena:

Modo Retrato

ja_te_falei_cenas-1Esta cena é utilizada para fotografar pessoas, de preferência paradas e cientes que estão sendo fotografadas.

Será mantida a abertura máxima do equipamento com o objetivo de separar o objeto do fundo. Para controlar a exposição, serão ajustados prioritariamente a velocidade do obturador e o ISO. Em ambientes com pouca iluminação, certifique-se que quem está sendo fotografado se mantenha parado e concentre-se em controlar o tremor das mãos, pois o alto tempo de exposição pode resultar em imagens tremidas.  A não ser que a câmera escolha utilizar o flash para congelar a imagem.

Modo Paisagem

ja_te_falei_cenas-2Esta cena pode ser utilizada para fotografar ambientes, tanto externos quanto internos.

Para manter o máximo possível em foco, a câmera vai escolher aberturas menores, o que exige um tempo de exposição ainda maior, ou seja, qualquer movimento será captado. Nesse modo, o flash não pode ser utilizado, já que não teria eficiência além dos primeiros metros de distância da câmera.

Modo Kids

ja_te_falei_cenas-3Esta cena é utilizada para fotografar crianças brincando, mas vale pra cachorros também.

Crianças, e cachorros, se movimento muito e muito rápido, dficilmente você será capaz de manter aquele pirralho de 5 anos parado tempo o suficiente para uma boa fotografia, principalmente em festas ou durante qualquer atividade. Por isso, a abertura será mantida no mínimo possível, a velocidade do obturador será a maior possível, o ISO vai para as alturas, e o flash muito provavelmente será disparado… Aí, não tem erro.

Modo Esporte

ja_te_falei_cenas-4Esta cena é utilizada para atividades esportivas, com movimentação, e normalmente à distância do objeto fotografado.

Novamente, é necessário congelar a movimentação do seu objeto, mas aqui, o flash seria inútil. A velocidade será muito alta, e a câmera tentará compensar com uma ampla abertura. Tentando manter a exposição balanceada, o ISO também será alto. O movimento não será um problema, mas a abertura poderá dificultar na realização do foco.

Modo Macro

ja_te_falei_cenas-5Utilizada para fotografar objetos próximos e estáticos.

Como a movimentação do objeto não é um problema, a velocidade do obturador será baixa, mas a câmera vai tentar manter o máximo possível da cena em foco, por isso, a abertura será baixa. Restringindo a entrada de luz, seu equipamento tentará compensar aumentado o ISO e até mesmo disparando o Flash.

Modo Retrato Noturno

ja_te_falei_cenas-6Utilizado em ambientes escuros, com objetos próximos à câmera.

As configurações serão parecidas com as do modo retrato. Mas sua câmera vai se esforçar também para captar um pouco da iluminação ambiente além da luz do Flash. Essa função é interessante para ambientar o objeto retratado.

Os modos de cena quando bem compreendidos e aplicados, podem oferecer resultados excelentes. Mas é necessário que você se dedique a estudar o funcionameto de cada um para saber quando e a melhor forma de utilizá-los.

Fotografia Clique a Clique – Modo Automático sem Flash

Hoje a dica é simples, bem simples, mesmo assim, muito importante!

Estudamos no post da semana passada como operar nossa câmera no modo Full Auto. (se você perdeu, clique aqui). Vimos que o modo automático vai configurar sua câmera da forma mais óbvia e simples para obter a exposição adequada para o registro, até mesmo disparar o flash.

Screenshot_2015-05-27-12-42-10Mas nem sempre o flash é bem vindo. Por motivos estéticos, técnicos ou simplesmente por educação. Para tais momentos muitos modelos compactos, celulares e mesmo celulares oferecem a opção de fotografar no modo Automático bloqueando apenas a utilização do flash.

Estético

ja_te_falei-auto (2)Toda a iluminação natural do ambiente acaba “destruída” quando o flash dispara. As cores, as diferentes intensidades e todas as nuances da iluminação fazem parte da cena que você quer fotografar se perdem. O flash se sobrepõe a todos esses aspectos e impõe uma luz dura, direta e fria à cena.

Técnico

ja_te_falei-auto (7)Todo Flash possui limitações. A principal delas é a relação Distância X Intensidade. Quanto mais distante da cena, mais dissipada a luz e o Flash perde em intensidade e eficiência na iluminação da cena. Por exemplo, em um show, ou apresentação de teatro, QUE O REGISTRO FOTOGRÁFICO SEJA EXPRESSAMENTE PERMITIDO (desculpe o grito), o flash será inútil. Ao disparar, tudo o que estiver próximo à câmera será iluminado, o que está distante, não será alcançado pelo flash.

Os Flashes mais simples são eficientes entre 3 e 5 metros da cena.

Educação

Aqui um ponto importantíssimo dessa discussão. O Flash é um elemento invasivo e extremamente desconfortável para alguém que não esteja esperando, em ambientes com iluminação especial, iluminação de palco. O flash é especialmente prejudicial em museus e exposições além de distrair outros que estão ali, a luz excessiva pode ser fisicamente prejudicial às obras expostas, a iluminação, a temperatura, o clima e até a humidade de um museu são pensados para não agredir as obras.

O flash pode ser muito bem utilizado, mas antes, é necessário compreender seu funcionamento e saber discernir quando sua utilização é necessária, eficiente e não invasiva.

Fotografia Clique a Clique – Modo Automático

ja_te_falei-auto (4)Como combinado, vamos começar a explorar as diversas possibilidades de nossas câmeras. É importante ressaltar que essas dicas se aplicam para modelos compactos de câmeras, aquelas câmeras de bolso, sabe? Se aplicam a alguns celulares, e até mesmo às DSLR.

ja_te_falei-auto (5)Quando utilizamos os modos automáticos para fotografar, estamos delegando ao nosso equipamento as escolhas que teríamos que fazer, e certamente em velocidade nosso equipamento  supera nosso cérebro.

Modo Full Auto

ja_te_falei-auto (3)Esta é a forma “mais automática” de fotografar. Você liga sua câmera, coloca em “Auto” e clica. Pronto! Simples assim… Mas nem tanto. A câmera vai utilizar das formas mais simples para fotografar, vai escolher as configurações necessárias para obter uma exposição balanceada a qualquer custo, da forma mais fácil e óbvia.

Se ela achar que precisa de mais luz vai exagerar no ISO, no tamanho da abertura ou na velocidade do obturador. Se ela achar que nada disso resolve, vai disparar o flash.

“UAU! Então eu não preciso fazer nada?”

ja_te_falei-auto (6)Por enquanto, não! Sua câmera vai tomar todas as decisões referentes à exposição. E a tecnologia já é avançada o suficiente para garantir bons resultados, desde que, as condições de luz sejam excelentes ou adequadas.

ja_te_falei-auto (2)Em condições adversas, com iluminação insuficiente, apesar de decidir rápido, sua câmera pode acabar decidindo errado, causando problemas como imagens tremidas ou com arrasto de movimento, imagens desfocadas, com granulação excessiva, flash estourado, etc. Em situações extremas o equipamento pode até mesmo ser incapaz de realizar o registro, o momento passa, já era… Perdeu!

ja_te_falei-auto (7)Mesmo assim, o modo Full Auto, totalmente automático, é uma ótima ferramenta. O fotógrafo iniciante pode realizar bons registros de forma simples, fácil e descompromissada. Vale a criatividade, valem as referências, a imaginação, valem principalmente a prática e o raciocínio! Fotografe, observe o resultado, imagine formas de corrigir as falhas e ressaltar os acertos e, então, fotografe novamente.

Fotografia Clique a Clique – Modos de Configuração da Câmera

ja_te_falei-modos (3)Aqui na série Clique a Clique você já aprendeu o básico sobre o funcionamento da sua câmera, mas a aplicação desse conhecimento não é simples, exige muito treino, muita prática, muito preparo para que o seu raciocínio corresponda às funções, características e limitações de seu equipamento.

Modos de Cena e Modos de Configuração

ja_te_falei-modos (6)Toda câmera, mesmo de alguns celulares, possuem diferentes “Modos de Cena” que são configurações Automáticas para diferentes tipos de situações. Aqui encontramos o grande diferencial e vantagem das câmeras DSLR, que além dos modos de Cena Automáticos, possuem também modos Semi Automáticos e o tão temido MODO MANUAL! (cabe aqui música de suspense e voz de locutor)

Mas não se desespere, até que se desenvolva todo o conhecimento e prática necessários para ter mais controle criativo sobre a cena no modo Manual, você pode praticar e aprender muito fotografando nos modos ja_te_falei-modos (4)Semi e Automáticos que são ótimas formas de compreender melhor sobre as funções manuais para fotógrafos iniciantes, mas também podem ser utilizados por fotógrafos mais avançados simplesmente para agilizar o processo com bons resultados.

ja_te_falei-modos (1)Por isso, nos próximos posts da série Clique a Clique, vamos explorar todas as possibilidades de cada um desses modos divididos em três partes:

  • Modos de Cena Automáticos
  • Modos de Configuração Semi Automáticos
  • Modo Manual (Mwaahuahuahuahau – risada maligna)

Acompanhe o Já te Falei nas próximas semanas, e vamos nos aprofundar um pouco mais nesse infinito mundo da Fotografia!

Fotografia Clique a Clique – Evitando Imagens Tremidas em 2 Segundos

Hoje eu trago uma dica rápida e prática para evitar imagens tremidas: 2 Segundos.

2 segundos que podem salvar aquele registro numa situação de pouca luminosidade e fazer a diferença entre uma imagem mais ou menos e uma incrível!

Já conversamos aqui sobre o funcionamento do obturador da sua câmera, e já entendemos como funciona o “Triângulo da Exposição”. Se você ainda não entende, acesse os links abaixo para entender passo a passo, clique a clique, o básico e ensencial do funcionamento da sua câmera:

Screenshot_2015-05-06-16-17-29
Meu celular chama o “Temporizador” de “Contador”! Haha, que burro!

Toda câmera, mesmo celulares e câmeras mais simples, possuem um recurso chamado de Timer ou Temporizador. O Timer é um recurso que quando acionado, dispara o obturador da sua câmera após um tempo determinado do pressionamento do botão de disparo. A maioria das câmeras disponibilizam opções para programar o tempo de disparo em 2 segundos ou 10 segundos.

Valinhos - Virada 2015-178
Olha eu de Jason ali disputando um Oscar!

O recurso é muito utilizado quando vamos realizar uma foto em grupo, uma Selfie com a galera, e nós fotógrafos queremos participar do registro! Por que como você já deve ter reparado, vida de fotógrafo é raramente sair nas fotos com seus amigos… triste! Isso explica o temporizador de 10 segundos. Tempo o suficiente pra ajustar sua câmera, organizar a rapaziada e correr pro abraço… digo para correr pra frente da câmera.

Mas e o Temporizador de 2 segundos?

Pouco tempo para se posicionar e abrir um sorriso pra foto, certo?

Screenshot_2015-05-06-16-18-11
Observe o temporizador curto ativado ali no cantinho!

Mas esse temporizador curto pode ser utilizado de uma forma diferente. Como você aprendeu no post sobre a Tempo de Exposição, às vezes é necessário diminuir a velocidade do obturador para captar luz o suficiente em situações de baixa luminosidade, como uma fotografia interna ou uma fotografia noturna com poucas fontes de luz. E nem sempre o flash é uma boa alternativa para esse tipo de situação.

ja_te_falei-2segundos
Diferença entre uma imagem com e sem trepidação das mãos.

Com um tempo de exposição aumentado, corremos o risco de captar o movimento, o tremor, de nossas próprias mãos enquanto o obturador está aberto, e quanto maior o tempo de exposição, maior o risco. O simples movimento de apertar o disparador pode resultar numa imagem tremida. E é nessa situação que aplicamos esta dica.

Você deve programar o Temporizador curto da câmera, e ao pressionar o disparador, se concentrar em manter as mãos firmes para o registro. Se for possível apoiar sua câmera num local fixo, ou mesmo um tripé, melhor ainda!

Assim, é possível melhorar a qualidade das imagens com pouca iluminação de uma forma rápida e prática.

Fotografia Clique a Clique – Lightroom Mobile

A Companhia ‘Adobe Systems’ é uma das líderes mundiais em processamento de imagens. Há anos, a empresa vêm desenvolvendo algumas das mais importantes ferramentas para aqueles que trabalham com informação visual, e nós, fotógrafos amadores ou profissionais não poderíamos ficar de fora.

Screenshot_2015-04-29-13-42-46Uma das principais ferramentas voltadas para o trabalho com fotografia, é o Adobe Lightroom, que tem o objetivo de organizar, tratar, editar, publicar ou imprimir, processo nomeado como “Revelação”. O Lightroom apresenta tudo que um fotógrafo moderno pode precisar. Ele é inteiramente baseado nos antigos processos de revelação e tratamento de imagens na era analógica, portanto é possível compreender e tratar as imagens da mesma forma como os fotógrafos das gerações anteriores faziam.

Recentemente, a Adobe desenvolveu a versão móvel do Lightroom para smartphones e tablets. É uma versão em aplicativo do programa original extremamente simplificado e acessível para todos os níveis de fotógrafos, desde o amador iniciante até um profissional avançado.

  • Organização

É possível organizar seus arquivos de diversas formas. Por data, por assunto, categorizar de acordo com a qualidade, utilizar sinalizações para escolher entre fotografias rejeitadas e preferidas ou sinalizar por categorias de cores. Também é possível atribuir palavras-chave e ler metadados dos arquivos além da criação de álbuns, coleções ou pastas, que depois podem ser acessadas com mais facilidade ou compartilhadas.

  • Edição e Processamento
LrMobile2904-2015-0249399703296176951
Fotografia Original
LrMobile2904-2015-0248400061950228488
Edição Lightroom Mobile

O aplicativo para celular conta com versões mais simples das feramentas de edição do programa para Desktop mas igualmente úteis. É possível modificar o aspecto e o recorte da fotografia em diversos tamanhos e formatos, editar contraste, brilho, exposição, níveis de saturação, níveis de branco e preto, além da aplicação de edições pré definidas, os chamados “Presets” e “filtros” que acompanham o próprio aplicativo. Os presets se assemelham aos filtros do Instagram e podem ser utilizados para edições mais simples e descompromissadas ou mais criativas.

  • Compartilhamento

Após a organização e o processamento, o Lightroom Mobile permite ao usuário compartilhar suas criações. É possível publicar diretamente de seu Smartphone para qualquer rede social também instalada. Outra opção é a Sincronização das pastas do celular e do computador, assim você pode acessar pastas do seu PC no seu Smartphone e vice-versa.

O Lightroom Mobile é uma ferramenta de interface extremamente amigável que proporciona uma experiência de uso simples e prática. O usuário primário pode começar a desenvolver suas habilidades e conhecimentos com facilidade, sem grandes complicações, enquanto um usuário avançado, um fotógrafo profissional pode apresentar, na tela de um smartphone ou tablet, seus trabalhos e portifólios.

Claro que não deve ser uma ferramenta única, mas compõe a gama de possibilidades que existem dentro de um mercado que depende cada vez mais de agilidade e soluções simples e inteligentes para o dia a dia atarefado de um profissional, ou para a curiosidade de um amador.

Fotografia clique a clique – Breve Introdução ao Foco

Seguindo a série, Fotografia Clique a Clique, na qual conhecemos os conceitos técnicos da fotografia, hoje discutiremos o conceito do Foco. Alguns conceitos na fotografia são tão básicos que às vezes até deixamos de estudá-los. Pegue sua câmera, e observe o visor, você saberia explicar por que uma cena está focada ou fora de foco? Você saberia explicar o que exatamente é o foco?

jatefalei_foco-4A mecânica de funcionamento de uma câmera é incrívelmente parecida com a mecânica de nossos olhos, que estão constantemente se adaptando para registrar e  compreender da melhor forma possível o mundo a nossa volta, mas para conseguir captar os pequenos detalhes, as pequenas diferenças e variações de luz e formas, nossos olhos precisam ser capazes de focar sobre tais detalhes.

jatefalei_foco-3O Ponto Focal é o ponto de convergência dos raios luminosos, observar algo que está devidamente focado, significa que o ponto de convergência da projeção da luz daquele objeto se encontra exatamente no receptor. Se o ponto de convergência estiver projetado antes ou depois do receptor, o objeto está “Fora de Foco”. Assim, os detalhes daquela cena parecem estar “embaçados” ou confusos, é quando ocorre a miopia ou o astgmatismo, quando o ponto focal é projetado antes ou depois da nossa retina.

É mais ou menos assim que seu amiguinho que usa óculos enxerga o mundo:

Sem os óculos…

jatefalei_foco

E assim com óculos…

jatefalei_foco 2

Os óculos são lentes corretivas que reposicionam corretamente o ponto focal em nossa retina. O mesmo conceito se aplica às nossas câmeras. Toda lente possue uma parte móvel que se aproxima ou afasta, se adaptando e corrigindo a projeção do ponto focal no sensor.

O foco, é um dos mais importantes controles criativos do fotógrafo, dominar suas diferentes aplicações abre um universo imenso de novas possibilidades que com certeza farão toda a diferença em seu trabalho. E é claro que, Clique a Clique, ainda exploraremos cada uma dessas possibilidades aqui no Já te Falei. Acompanhe!