Arquivo da categoria: Finanças para Artistas

VOCÊ MEI JÁ FEZ A SUA DECLARAÇÃO ANUAL 2016?

Não se esqueça

Todo Microempreendedor individual tem a obrigação de entregar a Declaração Anual Simplificada.

Essa declaração tem que ser entregue até 31 de maio de 2016. Veja bem, é até 31 de maio, então não deixe para última hora, faça hoje mesmo. Evite multas.

Nessa declaração você vai informar as suas operações do ano de 2015. Fique tranquilo que essa declaração será feita e entregue a Receita Federal pela internet.

Atenção: Você só conseguirá fazer a declaração de 2015 se entregou as dos anos anteriores. 

Vamos lá ao passo a passo:

  • Reúna todas as notas que você emitiu em 2015. Se você não salvou no seu computador ou não imprimiu, elas também estão disponíveis no site da prefeitura, na opção consulta de notas.

  • Clique aqui para acessar o sistema DASN- SIMEI. O acesso será feito digitando o seu CNPJ e código de segurança que aparecerá na tela. Clique em Declaração e escolha a opção Declaração original e selecione o ano 2015.

  • Você deverá preencher o total da Receita Bruta recebida no ano de 2015. Essa receita bruta total, nada mais é do que o total de serviços/produtos que você vendeu no ano de 2015.  Basta somar os valores das suas notas.

  • O campo a seguir será “ Valor da Receita Bruta referente às atividades de comércio, indústria e serviço de transporte intermunicipal e interestadual”, esse campo você só irá preencher se você trabalhou com as atividades citadas, caso contrário colocar 0,00.

  • O último campo você irá apenas responder se teve ou não funcionários em 2015.

  • Você vai clicar em continuar e aparecerá uma tela com o extrato do DAS, agora é só clicar em transmitir. 

  • Aparecerá o recibo da declaração. Imprima e guarde junto com os outros documentos que você utilizou para fazer a declaração. Acabou!

    Muito simples, certo? Então não deixe para última hora, a entrega fora do prazo gera multa.

    Fontes e referências para consultas:

    http://www.receita.fazenda.gov.br/

    http://www.sebraesp.com.br/

    http://www.portaldoempreendedor.gov.br/

    Espero ter ajudado.

Anúncios

Cheques sem fundos

Cheque sem fundo

Sempre menciono nos posts a importância de um bom planejamento financeiro.

É necessário cuidado ao comprar com cartão de crédito e cheque, antes de usa-los tenha certeza que pode pagar o que está comprando.

Li uma reportagem que fala sobre a inadimplência de  uso  de cheques, o país deve ter o maior nível de cheques sem fundos desde 2009.

Achei importante compartilhar aqui com vocês.

Clique aqui para ler a matéria na integra.

A  matéria é da Exame.

Até a próxima.

10 Dicas para começar 2016 no azul!

10 dicas para começar 2016 no azul

O final do ano está chegando, que data maravilhosa, vamos se preparar para os presentes de Natal e planejar a viagem de final de ano! Opa, mas não podemos esquecer as finanças!

É comum as pessoas exagerarem nos gastos com presentes e viagens de final de ano, muitas vezes gastando até mais do que podem e então começam um ano novo já com dividas.

É muito importante planejar o que será feito com os ganhos extras de final de ano (13°, bonificações e férias) e não se atrapalhar com as compras de Natal.

Algumas dicas para começar o ano de 2016 no azul:

  1. Faça o seu planejamento mensal, anote todas as despesas e receitas e tenha conhecimento da sua saúde financeira.
  2. Corte gastos.
  3. Planeje os presentes, comemorações e viagens de final de ano.
  4. Cuidado ao comprar com o cartão de crédito e cheques. Avalie a sua saúde financeira e tenha certeza que poderá pagar por tudo.
  5. Não se esqueça das despesas de começo de ano (matrícula, material escolar, IPTU, IPVA e etc.). Reserve uma parte dos seus ganhos extras para essas despesas.
  6. Avalie seus objetivos.
  7. Atualize o seu fluxo financeiro com novas despesas e receitas se houver
  8. Não se esqueça da Poupança mensal (mesmo em Dezembro e Janeiro). É importante poupar sempre.
  9. Evite muitos parcelamentos e dividas de longo prazo.
  10. Trace novas metas para 2016.

Até a próxima quinta.

Como o autônomo pode se preparar para a Aposentadoria?

Autonomo aposentado

Os autônomos precisam se preparar para a aposentadoria e essa preocupação precisa vir desde cedo, quanto mais planejado melhor.

É preciso ter em mente que o dinheiro necessário para viver hoje na aposentadoria deverá ser maior, as despesas tendem aumentar principalmente com cuidados médicos.

Achei uma matéria bem bacana que fala sobre isso, gostaria de compartilhar com vocês. A matéria é da infomoney.

http://economia.uol.com.br/noticias/infomoney/2015/10/30/como-os-autonomos-podem-se-preparar-para-a-aposentadoria.htm

Até a próxima.

Come-cotas

Come cotas

Coloquei no post anterior que a Previdência Privada não possui come-cotas e que isso é uma vantagem em relação aos fundos que possuem a cobrança.

Nos fundos de investimentos você paga IR quando feito o resgate total ou parcial do valor aplicado, porém quando o fundo é de Renda Fixa ou Multimercado o IR é retido também no último dia útil de maio e novembro, mesmo sem o cotista ter solicitado resgate. Chamamos essa antecipação do IR de come-cotas.

Essa cobrança semestral de IR é feita através das cotas e é deduzida sempre equivalente a menor alíquota, no caso dos fundos de Longo Prazo 15% e Curto Prazo 20%.

Como existe a antecipação de IR nesses fundos de investimentos, no longo prazo ele fica em desvantagem se comparado com um produto de características próximas e que não possui come-cotas. O ganho sobre o ganho fica comprometido no caso dos fundos que possuem come-cotas.

Espero ter ajudado.

Até a próxima quinta.

Previdência Privada: Vantagens IR

vantagens IRComentei no post “Previdência Privada: Imposto de Renda”, que existe a tributação de IR (Imposto de renda) Regressiva Definitiva que começa na alíquota de 35% e chega à alíquota mínima de 10% e comentei também no post “Portabilidade Interna e Externa” que a Previdência Privada permite que você troque de plano mantendo alíquota de IR, diferente de outros produtos de investimentos.

Queria destacar melhor essas vantagens, se estamos falando de um investimento de longo prazo, esses detalhes são muito importantes, uma vez que a Previdência Privada permite ao longo dos anos que você movimente a sua aplicação sem cobrança de IR e melhor ainda sem mudar a alíquota de IR vigente.

Como muitas pessoas ficam em duvida com relação a fazer uma aplicação em um fundo de investimento tradicional ou em um plano de Previdência Privada, vou fazer uma comparação com relação ao IR.

Vamos comparar um plano de Previdência Privada RF (Renda Fixa) com um fundo de investimento tradicional RF de Longo Prazo:

O plano de Previdência Privada RF:

  • Chega à alíquota mínima de 10% (se escolhida à tributação Regressiva definitiva).
  • Permite fazer portabilidade sem cobrança de IR ou mudança de alíquota.
  • Não possui come-cotas (é recolhido IR de seis em seis meses, sempre no último dia útil dos meses de maio e de novembro, mesmo que o cotista não tenha pedido resgate).

O fundo de investimento tradicional RF de Longo Prazo:

  • Chega à alíquota mínima de 15%.
  • Não permite portabilidade do saldo de um fundo para outro sem fazer o resgate e pagar o IR.
  • Possui come- cotas (é recolhido IR de seis em seis meses, sempre no último dia útil dos meses de maio e de novembro, mesmo que o cotista não tenha pedido resgate).

Por isso destaco sempre o valor do planejamento, quanto melhor planejado for o destino dos seus recursos, melhor ele será empregado. Você vai diminuir as chances de errar na escolha dos seus investimentos.

No próximo post continuamos com a comparação e vou explicar melhor sobre o come cotas.

Até a próxima quinta.

Previdência Privada: Portabilidade interna e externa

Portabilidade

A Previdência Privada tem mais uma vantagem, a Portabilidade.

A Portabilidade nada mais é que você transferir os recursos de um fundo da Previdência para outro fundo sem ter que pagar Imposto de Renda. O recurso é trocado de fundo sem nenhum custo ou incidência de IR.

Existe a Portabilidade interna e a externa.

A portabilidade interna acontece quando é realizada a transferência dos recursos de um fundo de Previdência para outro fundo do mesmo Banco/Instituição. Por exemplo, tenho um fundo de previdência de Renda fixa e quero trocar para um fundo de previdência com Ações, nesse é feito a portabilidade interna.

A portabilidade externa é quando é realizada a troca de um fundo de previdência de um Banco para um fundo de previdência de outro Banco. Por exemplo, você possui uma Previdência no Banco Bradesco é quer trocar para um fundo de previdência do Banco Itaú, essa troca é chamada de portabilidade externa.

A portabilidade é uma ótima vantagem, em um fundo ou CDB/Compromissada tradicional se você está insatisfeito com o produto e quer trocar para outro produto é necessário fazer o resgate do valor, pagar IR e aplicar no outro produto iniciando na maior alíquota de IR. Já na Previdência você pode fazer a portabilidade interna ou externa e movimentar seus recursos sem fazer resgate, mantendo a data da aplicação inicial.

Como estamos falando de um investimento de longo prazo, é comum ao longo dos anos que se acumule uma quantia que lhe permita acessar produtos mais rentáveis na Previdência, e você pode ter acesso fazendo a portabilidade.

É necessário saber qual é carência do seu fundo de Previdência para portabilidade, essa informação é especifica de cada produto, é preciso consultar antes.

Se você já possui um plano de Previdência, verifique periodicamente se o valor que possui aplicado já lhe dá acesso a algum fundo com o mesmo grau de risco e com uma taxa de administração menor que o seu produto atual. Geralmente os Bancos não avisam seus clientes dessa possibilidade.

Espero ter ajudado.

Até a próxima quinta.

 

 

 

Previdência Privada: VGBL

VGBL

Para quem é indicado: O VGBL é indicado para quem declara o imposto de renda no modelo simplificado, quem é isento ou quem declara o imposto de renda completo e deseja aplicar mais que 12% da renda anual bruta em um plano de previdência.

Beneficio: Imposto de Renda incide sobre o rendimento.

Cobrança de IR: Você pode optar pela tributação Progressiva Compensável ou Regressiva Definitiva. No VGBL a tributação é cobrada no momento do resgate ou quando transformada em renda. A tributação incide apenas sobre o rendimento.

As contribuições no VGBL podem ser mensais, anuais ou esporádicas.

No VGBL você consegue fazer um planejamento de aposentadoria ou investimento de longo prazo.

Espero ter ajudado.

Parabéns Já te falei!!

cobertura_evento_jatefalei-11

Sei que o tema parece estranho para um post de finanças, mas não podia deixar passar uma data tão importante! No último dia 15 o Já te Falei fez aniversário.

Completamos um ano de blog e quero deixar aqui registrado o meu agradecimento a todos os integrantes do Já te Falei (agradecimento em especial para o colunista de Fotografia, acho ele um lindo) e a todos os leitores, principalmente aos leitores da coluna Finanças para artistas.

Estou muito feliz que a Coluna tenha ajudado tantos amigos e fico toda besta quando recebo mensagens dos leitores agradecendo os posts.

A nossa coluna fez você refletir sobre os gastos, deu dicas de como se planejar, ensinou sobre investimentos, riscos, ações, previdência, dentre tantos outros posts.

No total foram 52 posts, e quero destacar aqui os meus queridinhos…

Desafio- 52 semanas para poupar dinheiro

MEI- Microempreendedor individual

Você MEI já fez a sua declaração anual?

Se você ainda não leu esses posts é só clicar e ler agora!

Mais uma vez obrigada a todos.

Até a próxima quinta com mais Finanças para artistas.

 

Previdência Privada: PGBL

PGBL

Quando você f contratar um plano de Previdência Privada você deverá escolher entre o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre). Para saber qual é o mais indicado para você, vou explicar um pouco sobre cada um, começando hoje pelo PGBL.

PGBL

Para quem é indicado: O PGBL é indicado para quem declara o imposto de renda completo e contribua com a Previdência Social.

Beneficio: Você pode abater da base de calculo do seu Imposto de Renda anual até 12% da renda tributável, conforme a legislação vigente. Logo, o percentual indicado para contribuir em um PGBL é de no máximo 12% da sua Renda Anual Bruta.

Exemplo: Uma pessoa que declara IR completo e que possui uma renda anual bruta de R$100.000,00, é indicado que contrate um PGBL de no máximo R$12.000,00 por ano (R$ 100.000,00 x 12%), desta forma essa pessoa vai declarar no Imposto de Renda apenas R$ 88.000,00 de renda anual. Em vez de pagar imposto sobre a base de R$ 100.000,00 essa pessoa vai pagar imposto sobre a base de R$ 88.000,00.

Para ter o beneficio é preciso informar na declaração de Imposto de Renda que contribuiu em um PGBL.

Cobrança de IR: Você pode optar pela tributação Progressiva Compensável ou Regressiva Definitiva. No PGBL a tributação é cobrada no momento do resgate ou quando transformada em renda. A tributação incide sobre o valor total (valor aplicado+ rendimento).

Se você contribuir acima do limite de 12% no PGBL, passa a não ser interessante, pois a tributação será cobrada sobre o valor total e você não obterá nenhum beneficio fiscal além dos 12%.

As contribuições no PGBL podem ser mensais, anuais ou esporádicas.

No PGBL você consegue fazer um planejamento de aposentadoria ou investimento de longo prazo e aproveita o beneficio fiscal deduzindo a sua base de calculo na declaração de Imposto de Renda Anual em até 12%.

Espero ter ajudado.

Até a próxima quinta!