Todos os posts de ocasal

Véspera de Natal

Véspera de Natal

Todos os anos dizemos a mesma coisa, mas realmente parece que foi ontem o Natal 2013! O ano passou tão rápido e nem todas as promessas do Natal passado foram cumpridas… Mas, por outro lado, fizemos também muitas coisas boas!

O Natal é isso mesmo, época de juntar a família, os amigos, relembrar bons momentos, agradecer pelo ano e por todas as conquistas. É também época de entrar em contato com o seu eu interior, de refletir, de rezar, de ter fé e fazer planos e promessas para o próximo ano, enfim… o Natal é a época em que o melhor do ser humano aparece! Podia ser assim o ano todo, né?! O clima natalino invade as ruas, as casas e os corações das pessoas. É tempo de amor! Difícil encontrar alguém que não seja envolvido por essa magia.

Véspera de Natal - O Casal

Vivemos o Natal a cada pequeno gesto, desde a decoração da casa, a montagem da árvore, a fantasia do Papai Noel para a criançada, os amigos secretos, os presentes, as loucuras nos shoppings e supermercados, a disputa pelas vagas no estacionamento, as confraternizações no trabalho, com os amigos e com a família, o especial de Natal do Rei Roberto Carlos, a preparação da Ceia, a escolha da roupa (quase o traje para o Óscar para as mulheres), comida  e bebida em abundância e a promessa das dietas e da academia no ano novo… tudo se repete, ano após ano.

Mas acima de tudo, nessa época nos lembramos de pessoas queridas e queremos ficar perto! Nada de lembranças ou sentimentos ruins… é hora de renovar o coração. Queremos união, paz, felicidade e amor! E é exatamente isso que O Casal e todos os colunistas do Já te falei! desejam a cada um de vocês nessa data especial.

Um excelente Natal a todos, repleto de luz e realizações!

Queremos deixar também o nosso “muito obrigado” por terem acompanhado nossa coluna durante esse ano, e principalmente, nessa data tão especial!

Obrigado por fazerem parte dessa grande família Já te falei!

Anúncios

Passar o Natal com a minha família ou com a dele(a)?

Casal no Natal

Por Ela:

Natal é época de festa, de paz, de perdão, de amor, de celebrar a vida e de reunir a família… Todo mundo tem aquele parente que só vê no Natal. Além de tudo isso, tem ainda aquelas comidas deliciosas, antigas receitas da família que ninguém faz igual! Ah… tem também os presentes, lembrancinhas, amigos secretos ou amigos da onça. É tempo de ser feliz, mas também de pensar no ano que está se acabando e preparar o coração para o receber o novo ano que logo se aproxima.

Tudo isso mostra o como é importante passar essa data tão especial com a nossa família. Geralmente, nos dividimos para participar das comemorações tanto do lado da família do pai, como da mãe, deixando a Ceia do dia 24 para um lado e o almoço do dia 25 para o outro. Tudo certo! Todos ficam felizes! Mas e quando você tem um namorado nessa história? Como fica? Eu posso passar o Natal com a minha família e Ele com a dele. Pode até ser uma decisão justa, mas não ficaria satisfeita com ela. Se Ele é meu namorado, eu o escolhi para fazer parte da minha vida e, consequentemente da minha família. Mas, pensando por outro lado, eu também faço parte da família dele. E agora?

Eu acredito que o Natal seja uma data para passarmos com as pessoas que amamos, seja nossa família de sangue ou nossa família de coração, aqueles amigos que escolhemos para fazer parte de nossas vidas e que, muitas vezes, são mais próximos do que muitos parentes. Eu amo meu namorado, por isso, não me imagino passando o Natal sem Ele (ainda mais nessa época em que os sentimentos ficam à flor da pele).

Beijo de Natal

Ok! Primeira parte definida: já decidi que não quero passar o Natal sem Ele. Mas se vamos passar juntos, vamos ter que escolher onde e com quem… Com a minha família ou com a dele? A véspera com a família dele e o dia 25 com a minha? Pode ser uma opção… Só vai ser difícil escolher na casa de que avó nós passaremos: materna ou paterna. Talvez possamos revezar: um ano com a materna e no próximo com a paterna… Ou dar pelo menos uma passadinha rápida em cada uma, só pra desejar “um Feliz Natal”.

Eu acho essa escolha muito difícil, pois não dá pra agradar todo mundo… não será possível continuarmos com as mesmas tradições natalinas de quando éramos crianças. Nós crescemos e escolhemos dividir nossas vidas com uma outra pessoa que amamos e isso não significa que vamos deixar de lado nossas famílias de sangue, apenas que ganhamos uma nova família, que só tem a agregar em nossos laços genealógicos.

Por isso, independentemente de nossas escolhas, nossos familiares devem saber que amamos a todos e que, embora não seja possível estarmos fisicamente com todos nesse momento especial, eles estarão em nossos corações no Natal e nos outros 364 dias do ano.

Por Ele:

O Natal é uma das melhores datas comemorativas do ano. São luzes legais, gente se amando, presentes – Cara, eu adoro ganhar presentes, mano!- a Avenida Paulista mais linda ainda, a linha amarela com aquele trem feio e etc. Você tem que ser um cara muito chato para ficar de mau humor nessa época, tá tudo tão perfeito que a vida parece nem ter erro ou que o seu ano inteiro tenha sido uma merda. Mas a parte mais importante dessa data é…. o Jantar em Família. Toda família faz um jantar especial e recebe a parentada toda, aparece gente que some o ano inteiro e isso é bom demais. Mas aí vem o X do problema, você solteiro ou muito jovem passou a vida inteira com a mesma rotina no Natal, não te condeno, isso é normal. Mas agora não é mais tão jovem, esqueceu a palavra solteiro e tem uma namorada. Ela também, assim como sua família, deseja curtir esse momento tão especial com você, pois, com certeza, ele(a) te deu amor, carinho e sempre muita atenção.

meio

Mas aí, ELE, o que vai fazer?

Talvez, exagerando no pragmatismo, seja possível decidir pelo fácil. Cada um na sua e, dia 26, é nóis! Mas a vida não é assim e nem relacionamentos são assim. Sabendo que o lado mais fácil está completamente fora de questão a decisão se torna mais simples, basta decidir quem faz a virada e quem faz o almoço. De boas!

Desculpe ao público, mas vou ser o arauto da má notícia. Após decidir a primeira parte, o casal vai ter tomar mais uma decisão difícil. Qual lado da família você vai decepcionar? Na minha opinião, a melhor escolha é o lado que você não foi no dia anterior, dividir talvez sempre seja o melhor negócio.

A fase é de escolhas, mas aguente firme e nunca se esqueça: É Natal e tudo é especial no Natal.

FIm

Ele(a) trabalha demais!

Ela trabalha demais! – Por Ele

O trabalho é uma das coisas mais importantes na vida do homem capitalista e contemporâneo. Vivemos uma vida inteira treinando para ele, em nossas escolas e depois em nossas universidades, só para conseguir chegar lá. Mas e o amor? O amor sempre tem a total prioridade na minha vida, ou quase sempre. Às vezes somos obrigados a por nossas prioridades na gaveta e dar valor para o que nos paga, por que amor é de graça, mas amar não é tão barato assim.

Job3

Por mais carrancudo que eu seja, uma coisa eu tenho que afirmar, todo domingo eu espero a sexta para Ela voltar e quando sou  -por motivos profissionais – obrigado a não estar com ela, meu coração se aperta e eu sei que enquanto eu estiver cheio de adrenalina no trabalho eu vou levar de boa, mas quando eu parar e perceber que ela não está aqui, a saudade destrói, mano.

Para evitar a destruição total do seu ser rsrsrs você tem que compensar o mais rápido possível essa ausência: falte na faculdade, saia um dia mais cedo do trabalho e vá de encontro ao seu amor. A breve separação tem lá suas vantagens, a saudade dá um gosto melhor para o momento além de que, se rolar, deixa a coisa mais hot rs.

Trabalhar é necessário, isso é um fato,  e às vezes significa deixar alguém em casa. Não se deixe abalar muito, pois eu, você e o planeta já sabemos que a saudade é pimenta boa de vez em quando, use isso ao seu favor. Só não torne isso rotina porque aí já vira abandono.

Ele trabalha demais! – Por Ela

Pelo título vocês devem me achar fútil, alguém que não dá valor ao trabalho, que vive num mundo de conto de fadas onde tudo é mágico. Não, nada disso! O trabalho está entre as minhas prioridades, tanto o meu quanto o dele, eu também posso ser acusada de trabalhar demais… e talvez seja exatamente esse o problema!

Sim, esse é o problema, trabalhar e estudar não é fácil pra ninguém! Trabalhar, estudar e manter um relacionamento então… nem se fala! O que complica mais é que quando um está livre, o outro está sobrecarregado de tarefas e compromissos… aí fica difícil curtir o namoro…

A questão também não é que eu esteja com ciúmes. Nada disso. Eu entendo que Ele realmente precise trabalhar e acredito que esteja trabalhando. O problema nunca foi achar que Ele estava mentindo para me trair… Longe disso, o problema é saudade mesmo!

Para aproveitarmos o tempo juntos, uma solução encontrada foi aproveitar sempre que possível para estudarmos ou trabalharmos juntos, cada um com seu notebook, claro, mas pelo menos estamos fisicamente juntos (ficar pertinho já ameniza um pouco as coisas).

Mas e quando o assunto é trabalho? Que nem perto podemos ficar? Muitas vezes não dá nem pra atender o celular, responder o WhatsApp ou ver o comentário ou dedicatória do amado carente no facebook (ok, essa sou eu!). Sim, sou carente! Ficar sem nenhum contato me enlouquece (principalmente em tempos de TPM). Preciso de carinho, atenção, ser ouvida, contar tudo o que aconteceu e ouvir a voz dele… ouvir um “eu te amo” nessas horas faz toda a diferença. Uma semana sem Ele pra mim é o tempo tolerável, mais do que isso, já morro de carência, chego até a chorar de saudades… Não é exagero, sou apenas sentimental. Nesses casos, preciso arrumar uma ocupação, me distrair para esquecer um pouco a falta dele. Para isso, trabalhar, estudar e academia são ótimos remédios! Mas, ultimamente, tenho corrido tanto quanto Ele, estamos praticamente competindo pra ver quem trabalha mais, estuda mais, ou enlouquece mais rápido!

Esse é outro problema: além da carência, da saudade, ainda tem o estresse da correria, da falta de tempo… Beiramos o surto muitas vezes! Isso nos faz questionar se tudo isso vale mesmo a pena, se temos que abrir mão de tudo isso para sobrevivermos. Mas viver sem tempo, estressado é a vida que queremos? E viver sem o amado? Viver sem amor pra mim não é vida!

Por isso, buscamos sempre um tempinho pro Casal, não por obrigação, mas porque realmente sofremos de ficar longe, porque enfrentar esse mundo louco juntos é mais fácil, o amor é quase uma terapia antissurto. Enquanto essa corrida contra o tempo não acaba, esperamos ansiosamente por cada momento juntos, cada olhar, cada toque, cada gesto de carinho e nos recordamos nostálgicos de viagens e passeios inesquecíveis, sonhando com os momentos em que poderemos viver isso tudo de novo e muito mais do que isso, quando o amor poderá vencer a barreira do tempo, porque, afinal, o amor pode ser para sempre.

Todos os meus amigos estão se casando… e eu?

Todos os meus amigos estão se casando

Por Ela:

Sabe aqueles planos que você faz desde criança sobre a vida? Na minha escola, pelo menos, tive aulas em que o professor pedia para planejarmos nosso futuro através de uma linha do tempo: que faculdade fazer, que profissão seguir, morar sozinho, casar, ter filhos… Sempre refleti muito sobre isso e sempre gostei muito de fazer planos, me organizar (pra terem uma ideia, hoje eu tenho 3 agendas: duas de papel – uma no trabalho e uma na bolsa – e outra no celular – para despertar sempre que tenho algum compromisso). Sempre tive uma vida regrada, cheia de planos e expectativas e, recentemente, percebi que posso estar atrasada em relação àquela linha do tempo que havia estipulado para a minha vida.

A parte de estudos, faculdade, pós-graduação, realização profissional está bem resolvida, dentro do esperado. Mas e o resto? Casamento, filhos? Estou atrasada! Percebi isso porque a maioria dos meus amigos e primos está se casando, alguns já têm filhos e outros estão planejando tê-los… E eu? Como estão meus planos em relação a isso? Daqui a alguns anos não poderei mais ter filhos, meu relógio biológico não para e, a cada dia, meu tempo torna-se mais escasso. Mas, por outro lado, eu também não quero ter filhos agora…

E aí, Ele?! Esses planos dependem também dos seus planos… Na verdade, acho que a parte que envolvia somente a mim na minha linha do tempo eu completei conforme havia imaginado. Mas, e a parte que envolve outra pessoa? Que envolve o Ele? Não posso planejar sozinha o futuro do Casal…. isso é fato! Então, por que será que o professor pedia para fazermos aquela linha do tempo? Pra nos frustrarmos depois? Ou será que para perceber o que eu estou percebendo agora: por mais que planejemos cada detalhe das nossas vidas, nem tudo acontece como o esperado, pois o mundo é das possibilidades e o futuro é imprevisível. Sim, agora eu te entendo, Ele! Não dá para planejar tudo, mas algumas coisas, podemos planejar sim, viu?!

Onde podemos chegar com essa reflexão toda? A questão é que não podemos nos comparar com outras pessoas, cada um tem seu tempo e cada casal também. O melhor é não colocar o carro na frente dos bois e não se desesperar. Fazer planos é importante sim, mas quando não dá pra planejar tudo, o que resta é ser feliz assim mesmo, estar bem resolvido consigo mesmo (e com Ele também) e esperar as coisas acontecerem no seu tempo.

Casa comigo

Por Ele:

E eu? Eu tô com Ela, vivendo e curtindo. O fato é… meus amigos estão casando. Não faz muito tempo fui ao casamento do meu brother da faculdade, cara, ele é meu amigo da faculdade! Não sou eu que estou atrasado, são eles que estão casando rápido demais.

Calma gente, é brincadeira. Meus amigos não estão casando rápido demais, nem de “menos”, eles estão casando, pois encontraram a pessoa certa e estão em condições de viverem um vida juntos. O meu caso não é muito diferente, eu encontrei a pessoa certa, só não tenho muita condição de viver junto com ela, afinal blogueiro nem sempre é a coisa mais estável do mundo. Enfim, não é nem essa a questão, a questão é:

E agora? Seus amigos estão casando e suas amigas estão tendo filhos  e você, quando vai tomar jeito?

Entre as muitas coisas que já bebi na vida, jeito, não foi uma delas. Tenho a maior dificuldade de planejar meu futuro, é difícil para mim responder a pergunta da minha vó ou a expectativa da minha família de que sou o próximo a casar. As duas decisões citadas não dependem só de mim, eu tenho uma parceira (linda) e os planos dela devem estar alinhados aos meus quando resolvermos casar ou mesmo ter filhos. Mesmo nos tempos em que vivemos, casamento é coisa séria, partilhar sua vida com aquele(a) que ama, não é brincadeira  e nem “de boa”, é sério e merece todo o respeito.

Se eles querem casar, que casem! Sempre foi esse meu lema, pois não é justo estourar o meu tempo e me enfiar em um casamento o qual não tenho condições de manter financeiramente e, em muitos casos, psicologicamente. Meus amigos estão casando? Então eles que casem, meu relógio é diferente. Divido uma vida incrível com ELA, mas ainda não chegou nossa hora de juntarmos as escovas.

ELA, hoje eu te levo para sua casa, mas prometo, amanhã ou depois, vou te levar para casa…

MENTIRINHA BRANCA

Mentirinha Branca

Mentirinha Branca – Por Ela

Desde crianças, aprendemos que não devemos mentir e esse valor – o de falar a verdade sempre – é transmitido também por várias histórias infantis, como na história do Pinóquio, em que o nariz do menino de madeira cresce a cada mentirinha, ou na história do Pedro e o Lobo, em que, de tanto mentir, as pessoas pararam de acreditar no Pedro.

"Pinóquio"
“Pinóquio”

A mentira nunca foi bem aceita socialmente, pois acarreta em uma quebra de confiança e, uma vez quebrada, fica difícil construí-la de novo. Além disso, a mentira pode iludir ou magoar as pessoas. Todo mundo conhece o ditado que diz que “mentira tem perna curta”… afinal, um dia, a verdade sempre aparece.

Mas por que será que, mesmo sabendo de tudo isso, as pessoas continuam mentido? Às vezes, é mais fácil inventar uma mentirinha do que ter que encarar a verdade. Mas e quando essa mentirinha, que começou pequena, vai crescendo, crescendo e se torna uma bola de neve… como podemos voltar atrás? Algumas pessoas se enrolam de tal forma com tantas mentiras que acabam não discernindo mais a verdade, criando quase que uma nova identidade ou uma realidade paralela.

Mentirinha Branca 1

E nos relacionamentos? Bom, como disse, a mentira não é aceita em nenhuma relação social, e acredito que nos relacionamentos amorosos, muito menos! Seu amado tem que ser um parceiro para todas as horas, aquele cara em que você pode confiar sua vida de olhos fechados e, se ele mentir e for descoberto, a confiança escorre pelo ralo. E dá pra ter um relacionamento com alguém em que você não confia? Eu acho que seria meio masoquista, paranoico, talvez, pois pensaria o tempo todo se ele está dizendo a verdade ou não, se ele me trai ou não, se ele me ama ou não, enfim, você acaba questionando do que ele seria capaz.

Eu acho que a mentira para encobrir algo errado deve ser banida de qualquer relacionamento: como mentir para pular a cerca, para sair às escondidas, para se apropriar de algo que não é seu, entre outros. Tudo o que possa fazer mal a outra pessoa deve ser evitado.

Agora, tem algumas mentirinhas brancas, que acho podem ser liberadas, de vez em quando, como: dizer que seu namorado ficou bonito com o novo corte de cabelo (horrível); pedir para que ele abra aquele pote porque você não consegue (mesmo conseguindo); elogiar os amigos dele (mesmo não tendo tanta paciência), entre outros…

Algumas omissões também podem ser perdoadas, como: não contar tudo o que seu ex fazia de bom; não contar quando algum idiota deu em cima de você (e você já deu um chega pra lá no cara), etc.

Essas omissões e mentirinhas brancas, quando usadas para não magoarmos o parceiro e evitar brigas e crises de ciúmes, eu acho que são super válidas. O que não pode é inventar uma mentira para fazer algo que possa ferir os sentimentos do seu amado. Mentirinhas para incentivar, elogiar, manter a autoestima do seu amor em alta, assim como o relacionamento, são perdoáveis por terem uma boa causa! As outras não, elas são imperdoáveis, pois objetiva-se apenas os desejos e interesses individuais do mentiroso, não visando em nenhum momento a felicidade do parceiro ou do casal. Para pesar o que pode e o que não pode é fácil: baseie-se nos combinados do relacionamento – o que é permitido no relacionamento pode virar uma mentirinha branca; o que não é permitido no relacionamento não deve ser feito, muito menos encoberto por uma mentira!

Eu, na verdade, tenho dificuldade em mentir, porque fica estampado na minha cara o que estou pensando ou sentindo… Não dá para mentir (nem para agradar) que qualquer um percebe, principalmente Ele! Para mim, nem a mentirinha branca funciona, porque sendo transparente assim, só dá para falar a verdade. E a outra mentira então, nem se fala… Aliás, fala! Minha consciência não para de tagarelar até que a verdade se revele! Até lá, peso uma tonelada e sono, cadê você? Isso não é vida! Vida é de verdade! Relacionamento é de verdade! Amor é de verdade! Mentira é de mentira…

Smile

Mentirinha Branca – Por Ele

Eita! Pela primeira vez desde o começo do blog eu estou com medo de ler o post da Ela. Será que Ela mente para mim? Se sim, será que este post inteiro é uma mentirinha branca para esconder um monte de mentirinhas cinzas, roxas ou pretas?

Enfim, nervosismos à parte, vamos ao assunto. A parada é o seguinte: mentir é feio e tua mãe ensinou isso faz tempo. Agora, existem certas mentiras que aliviam a dor dos outros, que evitam conflitos e às vezes salvam até uns relacionamentos por aí. Essa mentira que sua mãe não te ensinou é o que os adultos chamam de mentirinha branca.

O problema é que se a mentira tem perna curta, a mentira branca é uma anã e dentro de um namoro é muito difícil manter um segredo, mesmo que ele resulte em ver o outro machucado. A solução, às vezes, é o que eu chamo de egoísmo humanitário, se você vacilou com a patroa, esqueceu o dia do aniversário de namoro ou até mesmo traiu, a mentira no longo prazo é um péssimo negócio pois ela vai pesar para você. Se você jogar limpo e contar a verdade a dor do outro uma hora passa, mas o peso na consciência (para os que têm, óbvio) dura o tempo da mentira e mais um pouco.

Lembro de uma história que um amigo me contou:

Ele namorava uma mina louca de ciumenta que vigiava o facebook dele. Um belo dia, ela chegou nele e perguntou:
– Você conversou com Fulaninha Panicat?
O cara havia conversado com ela sim, só que sobre um assunto qualquer, nada importante, mas precisava responder algo e, para evitar o conflito, ele soltou aquela mentirinha branca e disse:
– Hmm, falei com ela não amoreco, por quê?
A namorada do cara que já sabia que eles haviam conversado já foi ao delírio:
– Ha e agora você mente para mim para conversar com a fulaninha, é? Moral da história: mentira branca para a sua mulher só vai te pôr em furada.

Mas tudo tem um outro lado e algumas vezes nos pegamos em uma sinuca de bico,  onde a mentirinha branca foi mais forte que a gente, como na situação abaixo:

ELE, eu dei um tempo com a minha namorada e quando voltamos ela perguntou se eu tive outra mulher, eu respondi que não, mas  isso é uma mentira branca, porque eu peguei minha prima irlandesa. Mas a crise é que se falo a verdade, minha namorada não ia me querer de volta. O que eu faço agora, conto a verdade?

O fato é que você devia ter jogado limpo e falado a real, vocês não estavam juntos e isso não era traição. Mas cada caso é um caso, ela poderia ter ficado com outras pessoas também. Mas agora que você já soltou a mentirinha branca, nunca poderá tocar no assunto senão é namorocídio. A mentira foi “de boa intenção”, mas agora vai ter que viver com ela.

Todos já soltamos umas mentiras por aí. É quase normal mentir para evitar o confronto, mas chamar isso de branca ou de inofensiva é outro assunto. Na minha opinião mentira é mentira, talvez exista a mentira necessária, mas suavizá-la chamando de branca é fazer uma mentira branca para você mesmo não se chamar de mentiroso.

NA BALADA COM O CASAL

Na balada

Na balada!- Por Ele

Não estaria mentindo se dissesse que sou muito, muito, muuuito menos baladeiro hoje, namorar me tornou um bicho mais caseiro, mas isso não significa que eu me tornei um ermitão. De vez em quando, dou uma de Zaratrusta e vou ver como anda a vida lá fora, com a diferença que hoje eu não vou sozinho, vou com minha senhora e ainda assim me divirto. Não como era quando solteiro, em casal você encontra outra forma de ver a balada e de curtir também.

O destino fez um negócio muito louco com a gente. Eu sempre fui ultrassociáviel, depois da adolescência eu me tornei um adepto das festas, dos bares e, por influência também dos meus primos, um adepto das baladas, não existia final de semana que não rolasse, a gente curtia muito, bebia muito e voltava com tanta história que os nossos bisnetos vão ouvir umas inéditas ainda. Já Ela, podemos resumir que, devido ao seu jeito calado e introvertido, she is not good at parties.

Na balada me divirto muito por 2 motivos. O primeiro é porque estou na balada! Caramba não tem como não se divertir. O segundo é que, mesmo ela sendo o ser mais tranquilo da face da Terra, não me proíbe de curtir a festa. Então eu vou lá e curto…  Com as óbvias ressalvas que um namoro implica. Hoje, ao imaginar que já cheguei até cobrar mais animação dela… aff… Mas eu fui um animal invasivo mesmo.

Enfim, voltando a falar em baladas em casal, acho muito interessante os dois criarem um “código de conduta do role”, se houvesse um desse, com certeza não teria briga por causa de festa. Então, agora vou sugerir o meu CCRC (Código de Conduta do Role de Casal):

1. Respeite o espaço do outro, eu sei que é uma balada mas confiança ainda é tudo.

  1. Não encha o saco por ciúmes, se vocês são ciumentos evitem baladas.

3.  Curtam juntos se você curte dançar e ele não ou vice-versa, passe parte do tempo com seu par, porque, apesar de amigos e talz, você veio com ele e nada teria a mesma graça sem ele.

4. Beije muito, se peguem mesmo, balada dá muita vontade de pregação e nada melhor do que aquele beijo de namorados.

5. Se não tá a fim de ir, não vá. É pior ir de mau gosto.

6. Balada em casal  é da hora! Permita-se aproveitar o momento.

7. Vale tudo o que for combinado previamente.

8. Se você namora, não é legal ir sozinho para a balada.

9. Acontece na balada, fica no relacionamento, elas não esquecem, então, por favor, não vacile.

10. Bastem-se. Só vale a pena namorar se vocês se bastarem para ser feliz.

Matutando ainda mais um pouco sobre o tema, percebo que ainda vejo a balada como via antigamente: um lugar ou uma noite para ser memorável!  Mas, se levarmos a palavra ao seu significado clássico e aplicando ao meu namoro, chego a conclusão que:

A balada é lugar de casal! É claro que sim!

Agora se a balada é o lugar do Casal?

Na balada! – Por Ela

Ir pra balada é um ótimo programa para quem está solteiro: para ouvir música, dançar, beber, se divertir com os amigos, flertar um pouquinho e quem sabe até rolar uma pegação? Mas não crie expectativas, imagine só a pegação mesmo, porque ninguém vai pra balada à procura de um relacionamento sério. Por mais que a Cinderela tenha encontrado seu príncipe encantado em um baile, não se iluda, porque o cara não vai bater de porta em porta atrás da dona do sapatinho perdido (se ele mandar um WhatsApp no dia seguinte você já pode se considerar uma mulher de sorte).

Pra ser sincera, nunca gostei muito de balada. Quando estava solteira eu ia mais pra me divertir com minhas amigas e ouvir música (porque eu nunca fui de dançar, nem beber). Agora, quando minhas amigas já estavam “felizes demais” ou quando eu não gostava da música, ficava sim com cara emburrada! Não era de propósito, mas acho que era nítido, porque os caras sempre se aproximavam de mim perguntando o motivo de eu estar brava e dizendo que eles poderiam me fazer companhia, me fazer rir ou ficar na bad junto comigo. No fundo, eu me divertia muito mais nas baladas dando foras nos caras (eu era muito cruel)!

Mas e quanto a ir pra balada com o namorado? Pode? Eu acho que pode sim, o que não pode é ir sozinho quando se está namorando. Mas, aconselho fazer uma avaliação antes de ir: se você ou ele forem ciumentos, aconselho arrumar outro programa, porque provavelmente só irão arrumar briga nessa situação. Por outro lado, se o ciúme for contido, controlado, você e seu namorado podem curtir a balada juntos, mas com outro enfoque, é claro! Não dá pra abusar também!

O que não se pode fazer quando for pra balada acompanhado:

– não ficar olhando pra outro ou outra (especialmente pra decotes ou saias curtas);

– não flertar (incluindo apenas troca de olhares);

– não dar abertura quando alguém vier puxar conversa com você;

– evite deixar seu parceiro sozinho (quando estão entre amigos tudo bem, desde que fiquem só no círculo de amigos);

– evite dançar com outra pessoa (exceção concedida a amigos cuja amizade é aprovada pelo parceiro);

– não beber demais;

– não arrumar brigas;

– para as mulheres: evitar usar roupas muito provocantes (a não ser que ele goste e não vá arrumar briga se alguém olhar para você);

– caso você receba uma cantada, não peça para seu parceiro te defender ou ir tirar satisfação.

Essas dicas podem evitar muitas brigas com seu parceiro durante e depois da balada. Eu, na verdade, não sou ciumenta a esse ponto e, felizmente, Ele também não, por isso, dá pra curtirmos de boa uma balada em casal (sem precisar de todas essas regras). Mas não corra o risco, avalie seu nível de ciúmes e de seu parceiro antes de decidirem ir pra balada.

Balada em casal pode até ser legal de vez em quando, não vejo problemas, o fato é que eu não curto muito (nem solteira, nem acompanhada). Acho que é porque não curto ver gente bêbada e odeio quando algum cara estranho já chega me tocando.

Apesar disso, Ele curte uma balada! (Inclusive, o tema do post foi sugerido por Ele. Acho que queria que eu refletisse sobre o assunto e visse o quanto sou velha e chata. Hahaha… Tudo bem, admito!). Como somos um Casal e temos que fazer as vontades dos dois, topo até ir de vez em quando pra balada pra variar o programa, mas não tenho muito mais pique pra isso não, pra ficar até de madrugada… amo dormir, prefiro muito mais um programa mais romântico, um jantar a dois com Ele, um filme com pipoca debaixo das cobertas juntinhos…

Na Seca… (parte 2)

Na Seca… (Por Ela)

Dessa vez vamos falar sobre a seca nos relacionamentos, ou melhor, a seca por falta deles! É mais difícil ficar na seca quando se está num relacionamento, mas também acontece, em algumas situações, como por exemplo, quando o casal briga, quando surge uma viagem sem o amado, quando estão numa rotina de trabalho ou estudos pesada que acaba não sobrando muito tempo ou sobra muito cansaço.

Eu acho que o sexo é muito importante para o relacionamento, na verdade, acho que é o seu termômetro. Se você está na seca (e não é por uma causa maior que o impossibilite, como a distância), significa que alguma coisa não está bem…

Ouvi uma história de um casal que, com os filhos e a correria do dia a dia, não estava arrumando tempo para o sexo. Por isso, eles combinaram de fazer todos os dias em um determinado horário da madrugada. Eu acho que foi uma solução inteligente, embora pra mim não daria muito certo por causa do sono… mas, o que importa é dar um jeitinho de acordo com as necessidades e vontades do casal! Mesmo cansados ou com dor de cabeça, sempre dá pra arrumar um tempinho pro sexo, afinal, ele ajuda a melhorar as dores e dá uma injeção de ânimo! Por isso, quando se tem um parceiro não tem desculpas para não ter sexo! O problema é quando não temos ninguém…

Essa seca sim é de matar! Não ter um relacionamento dificulta as coisas… Para as mulheres pode não ser tão difícil assim, pois é fácil encontrar um cara que queira sexo, mas o problema é justamente esse: algumas mulheres não querem só sexo como ato físico para saciar os desejos (como jogar tênis)¹, querem também uma boa dose de amor, amizade, cumplicidade, enfim, um relacionamento, e isso já não se encontra em qualquer esquina!

Temos, assim, duas opções: o sexo simples sem um envolvimento sentimental ou a busca por um parceiro, mesmo que temporário… Por isso, muitas mulheres acabam optando pela amizade colorida: você tem amizade e sexo ao mesmo tempo. Não deixa de ser uma ótima combinação, afinal, vocês já se conhecem, já têm intimidade e uma liberdade maior. Mas se o combinado for só a amizade colorida, só não pode se apaixonar ou se apegar muito (nem ser grudenta), porque o cara não vai querer um relacionamento – ele já deixou isso claro e você supostamente aceitou as condições.

Filme "Amizade Colorida"
Filme “Amizade Colorida”

Para não sofrer com a amizade colorida, a regra é pegar sem se apagar! A amizade colorida vale a pena quando os dois estão de acordo com os termos e enquanto estão curtindo. Cuidado pra não estragar a amizade depois também, porque quando acabar a fase de pegação vocês podem voltar a ser apenas bons amigos.

Algumas mulheres se preocupam também com a sua “lista”, ou seja, a quantidade de caras com quem já dormiram, como no filme “Qual seu número?”, em que a personagem decide procurar seus ex-namorados para resolver sua seca sem aumentar o número de caras da sua lista! Não é uma má opção, mas se o cara virou ex significa que a história já não deu muito certo por algum motivo e não sei se vale a pena reviver tudo…

Filme: "Qual seu número?"
Filme: “Qual seu número?”

Mas isso pode funcionar com amigos coloridos: quando você está na seca pode valer a pena procurar um antigo amigo colorido, afinal, se fizeram tudo certo, não ficou nenhuma mágoa ou outro sentimento e vocês podem colorir a amizade de novo pelo tempo que quiserem…

Não sei se tem gente que convive bem com a seca… Acho que se você for virgem é fácil ficar sem, porque o que você sente mais é uma curiosidade e uma vontade de experimentar, mas você não sabe bem o que… Por outro lado, depois que você experimenta, é mais difícil ficar sem (como droga), principalmente depois de um relacionamento em que o sexo era intenso… constante… e com sentimento!

Por isso, desejo muita chuva para todos nós, porque ninguém merece tempos de seca!

¹ Filme: “Amizade Colorida”.

Na Seca – por ELE:

Se falar sobre seca já é difícil, imagina lidar! Rs. Ainda bem que desse mal não tenho sofrido, mas já sofri e, meu irmão, tenho total compreensão de que não é fácil. Chega um momento você já tá batendo a cabeça na parede e mesmo aquele amor próprio não funciona e nem alivia direito.

Mas nem toda seca é igual e nem pelos mesmos motivos, em um relacionamento a seca pode vir devido a diferentes circunstâncias,  que vão desde ir viajar sozinho até  o momento em que  seu namoro está acabando.  Dos itens que citei, o primeiro é fácil de resolver, é só voltar para “casa”,  usar a internet para fazer alguns joguinhos à distância com a(o) amada(o), demorar um pouco mais no banho (em SP esse não pode);  mas o segundo é osso, quando já não rola mais aquela intimidade a ponto de te deixar na “seca”, infelizmente o namoro está a poucos passos do fim e trilhar o caminho de volta, às vezes, envolve aceitar o fim e tentar recomeçar tempos depois. Sem a intimidade e a troca que o sexo proporciona dificilmente um namoro contemporâneo (óbvio) sobrevive.  Namoro na seca é igual Buchecha sem Claudinho, até existe só não sei se é bom.

Agora quando você está solteiro, a história é outra. Com certeza todos têm o direto de fazer o que  bem entenderem  com o seu corpo e as possibilidades de se livrar desse mal aumentam bastante (na mesma proporção que os casais tem de não sofrer de seca!).  As mulheres cada vez mais livres já fazem uso de seu PA’s (eu sei que vocês sabem o que significa) e vivem por aí sem passar vontade, assim como o homem  que também tem suas amigas especiais. Nessa hora, vale tudo para encontrar alguém e se nada der muito certo, ambos os gêneros podem recorrer ao “pago” e desde que seja com segurança, boa sorte e vai lá e aproveite.

A ideia para não piorar a situação quando você está na seca é ter noção de que ela não é regra e sim condição, logo a fase triste passa, sua pele volta a ficar mais bonita, seu sorriso volta a aparecer, etc. Por fim, a “seca” entra naquelas coisas da vida que se assemelham ao consórcio, uma hora vai acontecer para você, nessa hora se você  estiver namorando, dependendo do motivo vale o esforço esperar ou remediar um pouco (rs). Mas se for solteiro vale quase tudo, sei lá, só não come a baleia  (piadinha literária no final, minha cara).

Na Seca…

Na Seca 2

O post dessa semana vai ser um pouquinho diferente… Pela primeira vez, Ele e Ela, tudo junto e misturado! O motivo: uma causa que já virou questão de sobrevivência. Vamos falar sobre um tema que atinge a todos da mesma forma: homens ou mulheres, casados ou solteiros. “Ficar sem água tá foda!”, como diria Ele.  Sobre este tipo de seca concordamos bastante.

Faz alguns meses que a situação em São Paulo tá osso! Estamos ficando sem água e, mesmo com os nossos líderes dizendo que está tudo “relativamente bem”, nós sabemos que não está. Temos que tomar muito cuidado e economizar o máximo possível e sim, é possível fazer isso a dois. Basta ter boa vontade e consciência.

No Casal, Ele acaba dando uns vacilos, de vez em quando, e Ela adora ficar no pé! Não é questão de ser chata, mas por se preocupar muito com os problemas do universo (do qual fazemos parte e também sofreremos as consequências de sua degradação). Desde criança, Ela defendia essa causa, muito mais por influência dos professores na escola, do que da própria família, e não vai ser agora, quando a situação tem piorado a cada dia, que Ela vai afrouxar a fiscalização só para agradá-lo. Ninguém gosta de ser vigiado, controlado, mas é por um bem maior, então acho que vale a pena nos unirmos por essa causa e, se o amor for verdadeiro, vai resistir à fiscalização e aos sacrifícios.

Os homens geralmente adoram cuidar dos seus carros como se fossem filhos e a lavagem com mangueira no domingão é quase que um ritual de carinho. É, amigão, nessa época, lavagem só se for a seco ou com água de reuso! Melhor encontrar outro hobby e outra forma de demonstrar carinho por seu inseparável companheiro. Para as donas de casa, as chamadas “Neuras” da limpeza, nada de lavar quintal ou calçada. Pode ser difícil para você suportar essa sujeira sem lavar, parece que não fica limpo de verdade, mas console-se, pois chão ou objetos não bebem água e não precisam dela para sobreviver! Uma vassoura ou um pano já resolvem em tempos de crise.

Todo mundo pode e deve fazer sua parte. Ensaboar a louça, escovar os dentes e fazer a barba com a torneira fechada, fechar o chuveiro enquanto faz a depilação e tomar banhos mais rápidos. Que tal um banho juntos para economizar? Enquanto um ensaboa o outro enxágua! Mas se controlem, deixem a pegação só para a cama. É muita sacanagem ficar de pegação no chuveiro em tempos de seca! Para a galera na puberdade, os banhos terão que ser mais curtos (quem quiser pode pedir umas dicas de sites para Ele). E, mulherada, nada de “chuveirinho”, sabemos que você também pode estar na seca, mas procure outra opção até que essa fase passe. Os motéis também poderiam fazer sua parte, inutilizando as hidros até que a situação melhore. Sexo no banho está fora de moda, tem tanto lugar melhor para fazer…

Pensando mais a fundo no problema, reclamar do governador não vai adiantar, não vai acabar a água dele. Mesmo sendo ele um dos maiores culpados pelo que estamos passando, o momento é de resolver o problema. Como não sabemos a dança da chuva para chover por 3 dias e 3 noites na Cantareira, temos que nos virar com o possível e nos conscientizarmos que o momento é de crise, racionar seria uma boa tentativa de solução, mas não vai ocorrer o racionamento, é um tiro no pé político e o Governo não vai fazer isso (apesar d’Ele afirmar que na casa dele todo dia tem “manutenção” pontual da Sabesp, ironicamente e pontualmente às 22h), então corra por nós e economize.

Os bons seguidores da coluna d’O Casal devem ter percebido que esse passo a passo sobre economia de água só pode ter o dedo d’Ela e essa pincelada, de leve, em uma visão um pouco mais política teve um toque d’Ele. Nesse primeiro post juntos, O Casal pode deixar uma conclusão: não foi fácil para Ele e Ela escreverem juntos, rolou algum estresse sim, mas que nossa união sirva de exemplo para que todos preservem a água juntos, apesar de todas as diferenças.

Um recadinho final: na próxima semana tudo voltará ao normal e Ele e Ela escreverão separadamente suas opiniões sobre “aquela seca” que vocês imaginaram quando leram o título deste post!

Até lá!  

#saudadesbanhojunto #saudadeschuveirinho #vaideredtube #carrosujoetendencia #dançadachuva   #saiseca   #chovenaminhahorta

Entrelinhas…

o casal

Entrelinhas… Por Ela

Mulheres adoram dar a entender, empregar expressões de duplo sentido e figuras de linguagem. Homens simplesmente não entendem.

Não é por mal, na verdade, é bem ao contrário. Muitas vezes, usamos as entrelinhas para não dizer algo que possa magoar, ofender ou causar uma DR e, muitas vezes, é exatamente isso o que acontece pela falta da comunicação clara.

As entrelinhas servem para deixar subentendidas coisas que é melhor não dizer ou não deixar que o outro perceba. Por exemplo, quando uma mulher diz que “até gostaria de ir à festa, mas está um pouco cansada”, significa que:

  1. Ela gostaria de ir à festa se não estivesse cansada.
  2. Mesmo cansada, ela fará um esforço para agradá-lo.
  3. Ela não quer ir à festa e preferiu dizer com essas palavras para não magoar ou não deixá-lo bravo.
  4. Ela não quer ir à festa e precisou de uma desculpa polida para a sociedade.
  5. Todas as anteriores.

Talvez minha resposta seja a alternativa “e”: todas as anteriores. Sim, sou muito indecisa e nunca quero magoá-lo e muito menos provocar discussões. Às vezes, faço as coisas para agradar sim e, às vezes, dizer algo não muito bom com palavras mais suaves e menos desagradáveis é bom para o relacionamento. Por outro lado, já não me importo muito com o lado social, com o que os outros vão pensar, opto por fazer o que eu quero e não o que deveria fazer.

Mas, voltando ao assunto, muitas vezes, Ele fica bravo quando uso essas “entrelinhas” ou duplo sentido. Mas além dessa função amenizadora, serve também para quando eu não consigo decidir (que é quase sempre).

As entrelinhas escondem palavras, pensamentos, sentimentos, lágrimas, sorrisos, abraços, suspiros, amores. De vez em quando, as entrelinhas escondem minhas lágrimas, mas na maioria das vezes, minhas lágrimas revelam as entrelinhas. Como vocês já sabem, sou chorona – choro de tristeza, felicidade, ansiedade, nervoso e até de amor. Choro sempre e, quando choro, Ele já sabe que tem alguma coisa nas entrelinhas. Talvez essas entrelinhas não sejam só palavras que não devem ser ditas, mas sentimentos que não podem ser expressados com palavras.

Para ser sincera, não sou muito de palavras. Odeio falar, mas adoro escrever. Acho que nos textos deixo menos entrelinhas…

As entrelinhas são infinitas. Depois de um tempo juntos, Ele já é capaz de perceber no meu olhar e na minha voz tudo aquilo que eu pensava que estivesse nas entrelinhas (ou que antes realmente estava)… Ele já decifra meus sentimentos. E isso é incrível.

As entrelinhas no relacionamento podem ajudar a torná-lo mais leve, harmonioso, mas, depois de algum tempo juntos, acho que as entrelinhas deixam de existir, ou tornam-se mais explícitas. Por mais que eu faça uso constante das entrelinhas, acredito que as mulheres devam superá-las para tornar o relacionamento mais aberto, direto e facilitar a comunicação e a vida dos pobres homens. No começo do relacionamento, vale fazer um manual de entrelinhas para que o casal possa se entender, com muitos desenhos para que os homens possam compreender o que elas querem dizer (brincadeira, mas pode funcionar!). Com o convívio, as entrelinhas deixam de ser obstáculos.

O amor está nas entrelinhas e muito além delas…

Entrelinhas… Por Ele

Esse é o terror de muitos homens, não por sermos insensíveis, seria muito anos 90 dizer que os “garotos não entendem”,  mas porque é sempre um risco interpretar o que o outro não disse. É como tentar, em um filme legendado, colocar palavras para o silêncio, é deixar para o outro a responsabilidade de entender o que disse sem dizer.

Eu falo muito, muito mesmo, por mim e por ELA e não sou de deixar subentendido. Nunca vai ouvir da minha boca um “faz o que você quiser” se não for para fazer o que quiser.  Só que esse sou eu e a maturidade te obriga a aprender a ler nos espaços vazios, tudo pode  ter um significado e só a experiência pode te oferecê-los e, mesmo assim, como os humanos são seres diferentes, o risco de errar é sempre grande.

Saber ler nas entrelinhas do outro é fundamental para a saúde do relacionamento, nem tudo pode ser dito, nem tudo pode ser jogado na parede, às vezes, o silêncio fala mais do que tudo, a vida acontece nas entrelinhas e muitos de nós, homens, precisamos entender que essa é uma forma de expressão e cabe a nós também sermos íntimos o bastante para entender o que ela quer e quando ela quer.

“Ler nas entrelinhas” é só futuro pro relacionamento, é sucesso na certa, homens e mulheres curtem a segurança de poderem ser compreendidos sem falar nada ou falando de um jeito mais tranquilo.  E outra, falar é bem dahora, trocar ideias e talz. Mas bom mesmo é quando A significa B e tá na hora de apagar a luz e provar que o bom do amor não tá no que é mostrado e falado para todos.

ANIVERSÁRIO DE NAMORO…

Aniversário de Namoro

Aniversário de Namoro – Por Ela

Quando o aniversário de namoro ou casamento está chegando é claro que a mulher já cria um milhão de expectativas! A primeira delas é a clássica: “será que ele vai lembrar?”. Para não correr esse risco, eu sempre o aviso quando a data se aproxima, mas, às vezes, eu também não lembro, por isso, uma agenda é imprescindível! Não é falta de consideração, é falta de memória mesmo e a correria do dia a dia.

Há pouco tempo, fiquei sabendo de uma história de uma senhora, com filhos e netos, que se esqueceu do seu aniversário de casamento. Ela sempre brigava com seu marido quando ele se esquecia da data, mas dessa vez, foi ela quem esqueceu. Após um dia cansativo de trabalho, ele perguntou-lhe se ela se importaria de só pedir uma pizza naquela noite, pois ele estava um pouco cansado para sair para jantar. Ela não estava entendendo o motivo da fala do marido, até que, de repente, percebeu que havia se esquecido da data. Ela não podia deixá-lo sequer imaginar que isso havia acontecido e, rapidamente, virou o jogo, dizendo-lhe: “Ah, você se lembrou, seu danadinho!”.

Essa senhora é um exemplo! Não existe um ser mais incrível do que mulher, porque até quando se esquece da data romântica, não deixa que o companheiro perceba e ainda vira o jogo a seu favor (do tipo: estava esperando para ver se você se lembraria)!

No meu caso, acabo nem comemorando o aniversário de namoro na data correta, porque Ele fez o pedido bem na noite do aniversário dele. Confesso que foi romântico compartilhar essa data comigo, ou talvez tenha sido uma estratégia para garantir que eu dissesse sim, afinal, seria “seu presente de aniversário”. Mas, de qualquer forma, essa data sempre será o aniversário dele, dia de comemorar com os amigos e a família, então fica quase impossível planejar uma comemoração romântica (a dois) para o nosso aniversário de namoro. Por isso, escolhemos a data em que ficamos pela primeira vez para as comemorações.

Quando a data se aproxima, imagino várias possibilidades românticas, desde um jantar a dois, uma noite especial ou até mesmo uma viagem para um lugar lindo. Sem contar com o presente… flores? Muitas mulheres adoram ganhar flores. Eu gosto da surpresa nos primeiros 5 ou 10 minutos, mas depois disso, já não sei mais o que fazer com elas. Não é um presente muito útil, não é? Acho que prefiro um presente personalizado, algo que tenha a nossa cara, bem romântico, junto com uma carta ou um cartão com uma linda declaração de amor… Tem que ser algo inesquecível!

Homens, sei que a missão de vocês não é nada fácil: ter que se lembrar da data e ainda preparar a cada ano uma surpresa incrível e que supere a do ano anterior não é para qualquer um… Mas são detalhes como esse que mantêm o romantismo e reacendem o amor do casal a cada ano para que cada comemoração seja como a primeira: única e inesquecível…

Ah, e a desculpa de que não pensou em nada porque planejou deixar a mulher escolher a programação não cola! Não tem nada melhor do que uma surpresa preparada por ele com carinho, mesmo que não dê muito certo – porque as ideias românticas dos homens (sexo), muitas vezes, são diferentes das expectativas femininas (mimos) – mas tudo bem, o importante é que vocês se esforcem para que suas namoradas sintam-se especiais e muito amadas!

 Aniversário de Namoro – Por Ele

Mulheres ou homens, somos sonhadores, idealizamos o melhor possível para nosso futuro.  Dentro de um relacionamento não é diferente, sempre vamos fazer o impossível para rolar e dar muito certo e, em tempos difíceis como os que vivemos, comemoração de aniversário de namoro é mais importante que o NATAL.

Então, para comemorar e passar minha experiência em aniversários de namoro, bolei um passo a passo do que penso que seja um aniversário de namoro ao menos decente:

O primeiro passo, cara, é lembrar. Não pode esquecer, nunca! Esquecer é mó vacilo e se sua namorada for romântica é motivo para uma DR que vai durar até o próximo aniversário de namoro. Guarde a data no celular, ou avise sua mãe, mãe não falha para essas coisas, vai na minha. No meu caso é mais fácil (pedi ela no dia do meu aniversário) mas também por isso optamos por sempre comemorar o dia em que ficamos pela primeira vez.

O segundo passo é: planeje algo. É uma data importante, marca a passagem do tempo que passaram juntos, mostra o quanto tem sido forte o relacionamento. Então, planeje algo, pode ser uma viagem, um jantar em um restaurante romântico, motel, etc. Não esqueça que é seu aniversário também, então escolha um lugar que você curta. Se estiver sem grana, também rola fazer um jantar romântico na sua casa, uma parada mais intimista, a dois, mesmo. Esse último comentário nos leva diretamente ao passo  3.

O terceiro passo é uma dica. Seja fino, vista-se bem, passe perfume. Dá sim para ser classudo sem um tostão no bolso, não esqueça as gentilezas,  abra a porta da casa, ou do carro,  ela vai gostar.

O quarto passo: escolha um presente legal. Acredito, de verdade, que a época dos presente clássicos nunca passará, arrisque chocolates e flores e vai aumentar as chances de sucesso em 80%. Mas tem uma questão que eu sempre lembro e que, às vezes, o casal esquece é que um bom presente nem sempre é um objeto. Para mim, o melhor presente é criar um momento legal, algo que o tempo não leve nunca de dentro da minha memória.

O quinto, último passo e mais importante é: torne a data inesquecível. Isso vai ser tão bom para o homem quanto para a mulher. Seja criativo na escolha do presente: se ela gosta de flores, compre flores; se ela gosta de chocolates, dê chocolates e vice-versa; se ele curtir algo, faça, é um momento importante e, quanto mais marcante for, mais legal vai ser lembrar!

Mande sua história para a gente, vai ser demais compartilhar!