Todos os posts de ocasal

Despedida

Não é fácil despedir-se, ninguém gosta de dizer adeus, mas às vezes é preciso. Despedidas geralmente são dolorosas, banhadas por lágrimas, medos e incertezas. Despedir-se é como perder um pedacinho, uma parte de você que talvez não quisesse desprender-se.

As despedidas assustam, pois nos fazem abandonar o que era certo e nos trazem o novo. Mas as mudanças podem ser boas. Às vezes precisamos mesmo nos desfazer daquele sapato que já está ficando apertado e calejando os pés e comprarmos um novo.

Quando se trata de um objeto não é tão difícil assim. Mas quando falamos de pessoas, relacionamentos amorosos ou até mesmo amizades, as despedidas envolvem sentimentos e não só os seus, mas os dos outros também. Nem sempre todos estão de acordo com nossas opiniões ou decisões.

Mas depois da tempestade, sempre aparece o arco-íris! As despedidas e as mudanças nos fazem crescer. É natural sentir aquele aperto no peito, as lágrimas escorrendo pela face e aquela vontade de ficar… Mas a vida é feita de ciclos. Tudo tem seu tempo. A gente chora, se fortalece, aprende e cresce. Descobrimos os outros e, especialmente, descobrimos nós mesmos. É nesses momentos que paramos para olhar para dentro de nós mesmos e novas janelas se abrem. Conhecer-se e superar-se. Quem diria que tudo isso poderia ser causado por uma despedida!

A vida é assim, ela simplesmente passa… O tempo não para, por isso não podemos parar no tempo. Aos pouquinhos, a tristeza vai passando e ficam só as lembranças dos momentos bons.

É nesse clima que o Casal despede-se do Blog “Já te falei!”. Esperamos que possamos ter deixado nossa marca, com muito bom humor. Essa coluna nos fez muito bem enquanto casal, pois foi uma excelente oportunidade para conversarmos sobre assuntos que fazem parte de um relacionamento e, assim, pudemos nos conhecer melhor enquanto casal e enquanto pessoa. O Casal vai deixar saudades… pelo menos para nós!

Agradecemos a cada um dos integrantes desse Blog por todos os momentos compartilhados e por essa maravilhosa experiência de nos deixar ter voz. Um agradecimento especial a todos os nossos leitores que nos acompanharam e comentaram!

“Vida longa, mundo pequeno, a gente ainda vai se encontrar…”

Ela x Ele = Sorte no amor, azar no jogo?

Por Ela:

Sorte no amor, azar no jogo? – Tá aí, um velho clichê que todo mundo conhece! E não é que serve direitinho pro Casal?! Quarta-feira passada, meu time perdeu na Libertadores, mas nosso relacionamento só tem ganhado pontos.

Sou São-Paulina e Ele, bom, Ele é Corintiano. A verdade é que nunca gostei do Corinthians e nem tive muita simpatia por caras Corintianos, mas fazer o quê, a gente não manda no coração…

Desde pequena sempre fui apaixonada por futebol, o estranho é que Ele nem curte tanto assim… Mais um ponto que prova que somos opostos!

Mas, continuando, minha mãe diz que eu sempre fui louca por bola – trocava fácil uma boneca por uma bola! Diz também que uma das minhas primeiras palavras foi “GOL”. Quando ela me colocava para dormir, e eu ouvia meu avô assistindo o jogo na sala e, tão logo, o grito do Galvão de “GOOOLLLL”, eu já pulava da cama gritando “GOOOLLLL, GOOOLLLL, GOOOLLLL…”.

Ao mesmo tempo em que eu era meiga, menininha, também era maria-moleque. Jogava bola na rua e na Educação Física da escola com os amigos do meu irmão, enquanto a maioria das meninas preferia fofocar. Na casa da minha avó, vivia quebrando vasos de plantas e o vidro da porta. Sem contar que a bola sempre ia parar na casa do vizinho e meu irmão pulava os muros para buscar… Bons tempos.

Meu primeiro namoro, na verdade, começou a ganhar forças no Society. Algo que nós dois curtíamos e uma boa desculpa pra ficarmos juntos, sem contar que é um jogo que acaba rolando algum contato com o adversário. Bom, foi aí que tudo começou.

Minha história com Ele, do Casal, já não teve nada a ver com futebol. Ele nunca se mostrou muito fanático, no começo nem sabia pra qual time Ele torcia (fui enganada), mesmo porque Ele dizia que preferia futebol americano (mas não perdeu a chance de fazer piadinhas no Facebook semana passada). Acho que a coisa do time ficou mais intensa quando fomos viajar pra chácara com a família dele e eu levei um travesseiro do São Paulo. Eu nem imaginei que a família dele ligasse pra isso, mas quando Ele me disse que eram todos Corintianos e que iam “pesar na minha” por causa disso, a coisa ficou séria! Mas foi tranquilo, só algumas piadinhas e tal, mas o que a gente não engole por amor, não é?!

Putz, Ele podia torcer pra qualquer time, mas tinha que ser justo pro Corinthians? Nunca tive nada contra o Palmeiras ou o Santos, por exemplo, mas nunca fui fã do Corinthians. Meu pai e meu irmão são Palmeirenses, mas nunca foram torcedores tão assíduos. Houve uma fase em que o meu irmão era bem mais, eu o vi chorar quando o Palmeiras foi rebaixado, mas depois ele passou a não ligar mais tanto. Pelo Santos eu tive uma simpatia especial também, por causa de um professor de história incrível, que eu adorava, que era Santista fanático, sem contar que foi na época de Diego e Robinho, não tinha quem não aplaudisse.  De onde saiu essa minha paixão pelo São Paulo? Acho que por conta desse meu avô, pai do meu pai, de tanto ouvir os gritos de GOL do Galvão! Assistia muitos jogos com meu avô, com direito a me jogar de joelhos no chão da sala e tudo mais! Hoje em dia, infelizmente já não sobra mais tanto tempo assim pro futebol…

Tá aí outra coisa que prova o quanto eu amo Ele! Antigamente, não perdia um jogo. Deixava de sair pra ver meu time jogar com toda certeza. Hoje em dia, já troco o jogo pra ficar com Ele. Minha paixão por Ele dura muito mais do que os 90 minutos da partida. Ele conquistou meu coração e o faz bater mais rápido do que em decisão por pênaltis. Tá certo que de vez em quando ele comete algumas faltas, fica impedido na frente da zaga, mas não é que o filho da mãe tem raça e sempre reverte o placar? No final, sempre tem aquela jogada de arrepiar…

 Ele nunca vai me fazer mudar de time, mas pra quê? Nos divertimos tanto sendo opostos! Afinal, o futebol só tem graça quando temos outro time pra jogar e torcer contra. No mata a mata quem ganha é nosso relacionamento.

Por Ele:

Um relacionamento menos ortodoxo começa quando é Ela que propõe a pauta sobre futebol, não sou maluco, mas tive que aceitar porque você sabe, né? Freguês tem sempre razão.

Só pelo primeiro parágrafo já deu para perceber, eu sou Corinthians, e isso está no meu ser, tanto quanto no meu coração, fígado ou pulmão. Posso não ser fanático, mas são inevitáveis as brincadeiras. Ela, uma São Paulina daquelas que acompanha jogo  desde a época que o Kaká era magrelo, eu nasci em um família de apaixonados pelo Corinthians. É lógico que em dia de clássico, como na semana passada, a gente tira muito com a cara um do outro, afinal somos brasileiros e futebol faz parte do que somos.

Brincadeiras à parte, afinal não quero zuar muito para não cometer falta , tomar um vermelho e ter que pagar punição, o futebol sempre teve mais importância para Ela do que para mim. É inevitável reparar o quanto Ela deixa de lado tudo isso pra gente ficar de boa.

Torcer pra times diferentes não é treta, desde que se respeite o casal. Também tem que zuar muito mesmo o São Paulo, é saudável e nos diverte depois dos jogos, não importa o resultado. Mas, pensando bem, é no empate que os dois ganham rs.

Ele nunca me trouxe café na cama

Ele nunca me trouxe café na cama, mas…

Ele sempre cozinha pra mim, faz tudo o que eu mais gosto: de baked potato a risoto de quatro queijos. Faz tapioca sempre que eu estou com vontade!

Eu ganho massagens nas costas e nos pés praticamente todos os dias.

Ele voltou mais cedo da viagem de carnaval comigo pra me ajudar a estudar e fazer o TCC.

Ele assiste comédias românticas comigo e até vai ao show do Luan Santana.

Ele deixa a luz do corredor acesa quando fico com medo de algum filme.

Quando vamos viajar com a família dele, ele sempre me serve e faz de tudo pra me agradar.

Ele me leva pra jantar em lugares românticos.

Ele elogia a minha roupa, os meus cabelos e até minhas unhas.

Ele nunca reclama das minhas roupas curtas.

Ele sempre pede os pratos que eu gosto.

Ele come o brigadeiro que eu faço e diz que está uma delícia, mesmo não gostando de doce.

Quando estou com frio, ele me dá a blusa dele e fica sem nenhuma.

Ele me leva pra fazer compras e tem toda a paciência do mundo enquanto eu experimento tudo.

Ele sempre me escuta com atenção.

Ele não me troca por futebol.

Ele me dá muitos conselhos.

Ele sempre tenta mudar quando não gosto de alguma coisa.

Ele sempre volta cedo comigo das festas, mesmo quando quer ficar mais.

Ele me acompanha nos eventos de trabalho e nos jantares de casais com minhas amigas.

Ele cuida de mim quando estou doente, me dá muito carinho e me faz rir quando estou triste.

Ele me encoraja a superar todas as dificuldades e me faz sentir forte.

Ele me incentiva a fazer o que eu gosto.

Ele me olha nos olhos e me encoraja a ser eu mesma.

Ele está ao meu lado sempre que eu preciso.

Ele faz declarações de amor e escreve poemas pra mim.

Ele me ensina a sonhar.

Ele escreveu o post “O dia em que descobri que minha namorada era humana” e me fez chorar…

Pensando bem, pra que café na cama?

O dia em que descobri que minha namorada era humana…

O sol nasceu para mim, assim como para qualquer um. A vida estava lá, cheia de tudos ou nadas. Eu tinha total certeza do que eu queria, mas a sensação era diferente, eu estava com um pouco de medo, feliz, mas o medo tinha chegado. O ciúme também estava lá. Eu era a caixa de Pandora, aberta para todos os males, mas também para a esperança. Eu estava confiante, sabia o que eu queria e foi assim o dia em que descobri que minha namorada era humana.

Mesmo depois de um ano inteiro de amizade sincera, nós começamos a namorar, não importa que eu soubesse tudo o que ela tinha feito da vida. Eu idealizei um mundo sob aquela mulher. Eu joguei nela aquele ser que eu achava que queria para mim. Não, isso não é uma tosquice machista, é só um ser humano aplicando suas ilusões sobre outro. Quase natural para sonhadores. Eu havia sofrido muito e ela era a solução, como um remédio, só que com gosto bom.

Eu tenho uma teoria sobre relacionamentos, eles começam nos castelos, mas só se firmam na floresta. É na natureza selvagem ou até meio into the woods mesmo. Lá vale tudo, no castelo só vale ser príncipes e princesas, Romeus e Julietas em perfeita sintonia, mas na floresta, fora da corte, somos dois humanos cheios de defeitos.

Into the wood

Construí nela uma mulher forte, fiz promessas de nunca fazer chorar aquela amazona que eu mesmo criei. Ela tinha o poder sobre mim, era perfeita e sem complicações, aquela mulher era como a água e sua transparência quase me refletia. Eu não percebia, mas estava, em meus sonhos, quase namorando comigo. Durou pouco tempo, ainda bem, Afrodite não é de ser cruel com os amantes sinceros.

Ela veio em uma manhã, solicitou alguma arrumação, sem querer deixou uma comparação com o ex-amor escapar. Ele era organizado, tomava decisões, rico, regia e mandava sobre o que quisesse. O cara era o rei poderoso, eu o bardo tristonho. Minha musa estava ruindo, ela não tinha direito à comparação, eu sou perfeito, ela deveria ser… Merda… ela é humana. Não foi fácil superar aquilo, fiquei aéreo. Ainda digerindo a frustração reparei que ela falou um palavrão, de novo não! Falou sobre medos, sobre sonhos que não eram meus e depois não podia ficar porque os pais dela iam embaçar. Eu gritei e ela chorou. Ela não era a amazona. Aquilo era a floresta, os animais em volta.

Simplesmente eu conhecendo a minha mulher, ela foi para casa. Sentei no meu sofá, um bom parceiro para a epifania. O medo e o silêncio eclipsavam o sol do meu reino, fiquei ali olhando meu céu de concreto com uma estrela apagada. Ela chorou, ela viveu, ela tem limites, ela fala palavrão, ela odeia as coisas e comecei a rir, novamente como o joker que eu sabia que era.

Eu estava adorando aquilo, aquelas coisas normais descarregadas em cima de mim, minha desilusão… eu que sempre previ tudo.  Ela veio e destruiu nosso castelo, me deixou ali remoendo nas ruínas, eu tão apegado a desconstruções. Naquela noite, fiquei com frio, as paredes não estavam lá para me proteger, dormi eu e depois os grilos.

Ela veio no dia seguinte, juro, odiei a roupa dela e por dentro ri de mim mesmo. Estou amando, olhando por dentro do espelho quebrado e amando. Vou fazer poesia dessa mulher, a outra já me soa meio chata. A como eu aprendi a gostar das imperfeições dela, de todos os tons de cinza que me apresentava, um a um. A convivência estava acabando com eu e criando um nós. Eu estava curioso queria mergulhar naquele lago, tão menos transparente que o primeiro. Ela estava sendo ela, eu estava sendo eu e, ao invés de dois eus, eu estava adorando ser nós.

Muitos defeitos vieram, tenho certeza que ela viu muitos dos meus. O primeiro dia foi difícil, o segundo foi como o amanhecer, eu nasci de novo, ou ela, não sei. Sei que me apaixonei duas vezes pela mesma mulher.  Apaixonei-me quando conheci suas qualidades e acreditei que ela fosse feita daquilo e depois me apaixonei de novo quando tinha certeza de que não foi. Enfim, assim como eu, ela é uma humana cheia de manias chatas para caralho, lixos e luxos, mas é a humana que escolhi para mim.

            Fica para um café ou para a vida toda?

Final feliz

 Por Ele.

20 vantagens de namorar

Nos posts anteriores, falamos sobre diferenças, desentendimentos, DR, brigas, etc., mas nunca falamos só sobre o lado bom do relacionamento. A gente reclama, mas a gente se ama! Se fosse ruim namorar, estaríamos solteiros! Claro que temos desentendimentos, ninguém é perfeito e, portanto, os relacionamentos também não são um conto de fadas. Aliás, nem a Disney faz mais contos de fadas com relacionamentos perfeitos…

Perfeito ou não, por que um relacionamento é tão bom?

  1. Companhia e parceria

Companhia e parceria

Ela: Companhia é meio óbvio, afinal, quem está namorando não quer ficar sozinho. Mas não é uma simples companhia, é uma companhia pra todas as horas, tristes ou felizes, ter alguém que vai estar ali pra tudo, alguém com quem você pode contar sempre, das viagens de férias ao estresse depois de um dia cheio de trabalho.

Ele: Essa é a base, tem que rolar parceria e correr lado a lado. Não existem limites para esse item, o amor é lindo, mas sem amizade e companheirismo ele se perde.

2.  Segurança

Super-homem

Ela: Acho que esse item vale mais pras mulheres, mas me sinto muito mais segura quando estou num relacionamento, saber que tem alguém cuidando de mim, me protegendo de todos os males, quase um super-homem! O meu super-homem! (Ok, ele prefere ser o Batman, pode ser também, ficamos com “super-herói”, então, tá?)

Ele: E quem disse que um cara não precisa de segurança? Ser solteiro é divertido, mas namorar não tem como descrever, ter alguém lá para te ajudar, alguém para contar, alguém para abraçar e amar alguém para proteger e ser protegido. Você é responsável por aquilo que cativas, manja?

3. Carinho

Carinho

Ela: Como vocês já estão cansados de saber, sou muito carente, adoro carinho e atenção… um cafuné e uma massagem me ganham! É tão bom um carinho de alguém que você ama… carinho sincero, de coração…

Ele: Quando você está solteiro e deita na cama sozinho, não bate aquela vontade de ter alguém para abraçar? Então em mim não dá, eu tenho alguém para dar e receber carinho.

4. Amor

Amor

Ela: Amor é fundamental! Tem coisa melhor do que ser amado? Sentir-se vivo, feliz, o amor dispensa explicação… um “tum tum” já resume esse sentimento.

Ele: É aí que a coisa começa, sabe? Há quem diga que o amor não existe, somente suas provas. Tenho dó dessas pessoas, elas nunca amaram.

5. Amizade

amizade

Ela: Um relacionamento não existe sem amizade. O casal precisa se dar bem, precisa gostar de ficar junto, contar um com o outro, falar besteira, ficar de bobeira, dar risada…

Ele: Na minha opinião, foi aí que tudo começou.  Éramos amigos, confiávamos um no outro, ela é meu porto seguro. O amor é um sentimento instável, Maquiavel, o Lorde e vários artistas e filósofos acreditam nisso e é isso que o torna lindo, mas a amizade é o que proporciona aquelas risadas sem motivo, aquelas conversas de noite inteira e até mesmo aquela leitura de pensamento, que demonstra o melhor de uma união.

6. Empatia

Empatia

Ela: Empatia com certeza, mas isso não significa só que ele vai com a sua cara não. É muito mais do que uma simples afinidade, ele se identifica com você, sabe se colocar no seu lugar, te entende, valoriza e respeita.

Ele: Conhece aqueles momentos quando você sabe o que ela vai pensar? Sabe quando você consegue se colocar no lugar dela? Se não sabe, tá na roça.

7. Respeito

Respeito

Ela: É incrível quando alguém te respeita do jeito que você é e, mesmo que não concorde com suas escolhas, vai respeitá-las, te aconselhar e ficar do seu lado caso tudo dê errado.

Ele: O ponto mais forte do nosso relacionamento. Seres diferentes de culturas diferentes e de universos diferentes podem ficar juntos? Sim, é só ter respeito.

8. Identidade

identidade

Ela: Identidade é quando você pode ser você mesmo, quando você se encontra e encontra a pessoa certa. Você se sente completo e o relacionamento só vem pra acrescentar…

Ele: Você é mais você quando ela está por perto. É, isso é maravilhoso.

9. Reciprocidade

reciprocidade

Ela: Amar e ser amado. Investir em alguém que também está investindo em você. Recompensador, reconfortante, leve….

Ele: Sempre fui um homem completo, nunca precisei de cara metade. Fui sozinho a vida toda e nunca me senti mal por isso. Sabe o que é reciprocidade para mim? É ser transbordado. E ser 150% e o namoro te proporciona isso. Comigo é na soma.

10. Confiança

confiança

Ela: Não existe relacionamento sem confiança. É muito bom poder confiar em alguém e sentir que essa pessoa confia em você. Faz bem pro ego, te dá segurança, liberdade e, ao mesmo tempo, aquela vontade de ser perfeito, não fazer nada errado para nunca quebrar esse cristal.

Ele: Confiança torna tudo mais bonito e mais fácil. Com confiança associada com segurança, o relacionamento fica leve, gostoso, dá vontade de ficar juntos, de se entregar mais e de se esforçar o máximo para manter esse sentimento vivo.

11. Dedicação

Dedicação

Ela: Ter alguém que se dedica a você, que dedica seu tempo, seus sentimentos, seu carinho, sua confiança, que cuida de você, que dá sua vida pra te fazer feliz.

Ele: Ter alguém para dedicar seu tempo, se esforçar para ver sorrindo, ter alguém que dê um sentido a mais para sua vida. Nada melhor do que ter alguém para se dedicar.

12. Sinceridade

Sinceridade

Ela: Não sei mentir, então pra mim é perfeito poder ser sincera sempre e poder acreditar no que ele diz.

Ele: Jogar limpo evita treta, e ter alguém com quem você não precisa se segurar e pode ser 100% sincero é raro. Aproveite!

13. Compreensão

Compreensão

Ela: Sabe o que é ter alguém que te entende? Às vezes não precisa nem falar, basta um olhar e ele já sabe o que você está sentindo ou pensando… Um abraço, um sorriso, um beijo, alguém que te entende melhor do que você mesma, que te defende, que te conforta…

Por ele: Ser compreendido é ser respeitado, protegido e amado. Um namoro feliz tem isso de sobra.

14. Intimidade

IntimidadeEla: Relacionamentos longos criam intimidade. Vocês se conhecem muito bem, sabem as qualidades e os defeitos um do outro, não precisa de rodeios. Intimidade cria uma proximidade, um vínculo e te permite ser você mesmo, sem medo.

Ele: Pode parecer muito louco, mas no amor as barreiras do eu são parcialmente e deliciosamente diluídas. Você nem precisa tanto delas, seu espaço é invadido e você gosta disso. Estar lá e vê-la destruir e reconstruir tudo à sua volta é ótimo.

15. Sexo

SexoEla: O melhor sexo sempre vai ser com seu namorado. Vocês já se conhecem, já treinaram bastante juntos, sabem das preferências um do outro, podem se soltar… Não precisa ficar nervosa ou insegura, nem ficar preocupada com aquela barriguinha ou celulite, porque o sexo com ele não é só por prazer, envolve amor, ele te ama por inteiro, não só pelo seu corpo, mas pela pessoa que você é (coisa que você nunca terá num sexo casual).

Ele: Sexo casual deve ser bom, prazer e talz. Mas quando você deseja uma mulher mais do que pelo corpo, ou por puro tesão, eu garanto, é incrível e quando você tem oportunidade de sempre ter essa mulher? Melhor ainda, vocês se conhecem. sabem do que gostam, têm segurança para arriscar e a prática faz a perfeição.

16. Paz e conforto

PazEla: Sabe aquela paz? Aquele estado de espírito leve? Ter alguém que te faz tão bem!

Ele: A paz de ter alguém para amar e o conforto do colo de uma mulher não há igual.

17. Loucura

loucuraEla: Quem não gosta de aprontar de vez em quando? Vocês podem fazer loucuras juntos, não estou falando só de sexo, mas podem se aventurar mesmo, se arriscar, ir atrás dos sonhos… Um relacionamento é ter alguém que, ao mesmo que te conforta, também sabe a hora de tirar os seus pés do chão, de te fazer flutuar…

Ele: Essa é minha especialidade, comigo por perto o nível de normalidade em um relacionamento cai 82%. O amor é loucura e por isso é delicioso, seja um louco no amor e manterá longe os manicômios.

18. Estabilidade

estabilidadeEla: Estabilidade não é “mesmisse”. Estabilidade é encontrar o equilíbrio, é um relacionamento sólido, duradouro, quem sabe, para sempre.

Ele: Estabilidade não é repetição  e nem ser seguro, estável e aquilo que é forte e adaptável… Um abraço. O seu relacionamento estará lá para você, é algo para se olhar e ter vontade de ficar.

19. Surpresa

surpresaEla: Por mais que vocês se conheçam e namorem há muito tempo, eles ainda fazem boas surpresas, que talvez sejam ainda melhores, pois como já te conhecem mais, sabem exatamente o que te agrada e surpreende. Um relacionamento também vive de novidade, coisas diferentes, loucas, inesperadas.

Ele: Porque ser solteiro é entediante e repetitivo.

20. Felicidade

FelicidadeEla: Namorar quem você ama e é seu melhor amigo é sim a receita da felicidade. Ele, eu sou feliz e você me faz muito bem! Me encontrei quando encontrei você!

Ele: Ter um bom namoro é como ouvir a música do Pharrel, não tem como não sorrir. É aproveitar o melhor de você e encontrar o melhor dela. Eu sou feliz e o motivo é ter Ela para compartilhar.

Te amo meu anjo.

Ela: Gente, pra finalizar, quando pensamos no tema “o lado bom do relacionamento”, combinamos de citar “20 vantagens de namorar”.  No começo, eu confesso que pensei: “nossa, será que tem tudo isso?”, mas depois que comecei a escrever, foi muito difícil parar nas 20. Ficaria aqui para sempre, porque quando o amor é verdadeiro, as vantagens são infinitas.

PS: Eu te amo, Ele!

Ele: Existem 20 vantagens de se namorar, mas pelo menos 100000 de vantagens de se namorar Ela.

Rolou estresse?

Por Ela:

A correria do dia a dia, trânsito, trabalho, chefe, cobranças, falta de água, faculdade, provas, problemas de família… tudo isso gera um estresse incalculável! Somos seres humanos, pessoas compostas por todas essas esferas e muitas vezes não conseguimos deixar o estresse do resto do mundo de lado e acabamos descontando tudo na pessoa errada: Ele! Não tenho TPM, mas pelo contrário, ando estressada o mês inteiro. Não é nada agradável conviver com uma pessoa estressada, fato! O lado bom é que eu não fico brava, não grito ou sou agressiva com Ele… Mas o problema é que eu fico mal e sempre acabo contando com Ele pra desabafar, com muito choro, claro!  O final feliz é que Ele sempre me ajuda e me faz sentir melhor! É meu remédio!

Brigas no relacionamento? São raras! Apesar de todas as diferenças, nos entendemos muito bem! E qualquer desentendimento é resolvido na conversa sem muito estresse. Eu até que sou uma pessoa flexível no quesito relacionamento e posso dizer o mesmo sobre Ele! Então, no final tudo se acerta! Relacionamento de contos de fadas? Não. Claro que pra chegar a um acordo, mesmo com conversa, não é tão simples assim. Nas famosas DR sempre acabamos expondo pontos que o parceiro não está a fim de ouvir, temas desagradáveis… Mas faz parte! Depois de umas caretas, umas lágrimas e um abraço tudo fica bem!

Mas, no relacionamento em si, não sou estressada. Não sou ciumenta também, como já disse nos posts anteriores – o que já elimina um dos grandes culpados pelo estresse nos relacionamentos. Eu fico estressada mesmo com questões de planejamento e organização. Ah, isso sim me estressa! Não planejar algo ou fazer algo diferente do que havíamos combinado. Lendo isso parece que eu sou uma maníaca por organização, mas não é para tanto (talvez só um pouquinho). Mas vou citar um exemplo pra vocês me entenderem (e ficarem do meu lado, claro!): fomos viajar para a praia num final de semana desses com a família d’Ele. Eu fiz uma mala até que razoável para os meus padrões (sim, eu levo a casa comigo!), mas dessa vez, era uma mala pequena para o final de semana. Mulher geralmente acaba levando muitos cosméticos também, né, não tem jeito: shampoo, condicionador, sabonete, protetor solar, creme, repelente, desodorante, etc., e acaba dividindo tudo com Ele né, que, na maioria das vezes não se preocupa com essas coisas. Ok, levar os cosméticos pelos dois é natural e acaba diminuindo a bagagem. Mas e quando seu namorado resolve não levar NADA? Nada mesmo, nem uma bermuda, chinelo, cueca, camiseta… absolutamente nada?! Sim, é de se espantar, principalmente para alguém que planeja cada detalhe como eu! Mas, enfim, vindo d’Ele, já era de se esperar. Pra resumir, Ele pegou tudo emprestado do pai e do irmão durante a viagem, já que não tinha nada, né? Tempos atrás eu surtaria com isso! Dessa vez, não me importei muito, mas essa questão de falta de planejamento me estressa um pouco, principalmente quando, implicitamente, eu acabo ficando responsável por organizar tudo sozinha. Não quero essa responsabilidade só pra mim e Ele não quer planejar. E agora? Vamos morrer de estresse? Terminar o relacionamento?  Claro que não (embora, às vezes, eu até ache que vou ter um piripaque). A solução é conversar, resolver com calma e não dar trela pro estresse.

E o estresse do mundo? Bom, vamos ter que arrumar um jeito pro estresse cotidiano não afetar nosso relacionamento. Pode ser um esporte, academia, ter um momento só pra você, fazer aquilo que mais gosta, sair, ler um livro, ver um filme, socar um saco de boxe, dar mortais, comer besteira, receber massagem, enfim, qualquer que seja a opção, o que importa é aliviar o estresse e alavancar a relação. Aproveito nesse momento, para agradecer a Ele por toda a paciência! Sim, reconhecer quando se está estressado e pedir desculpas também é necessário.

brigadecasal3

Mas agora é sua vez, vê se não me estressa, hein?!

Por Ele:

Vish, e agora? A patroa não está fácil, tá cheia de vontade de matar um namorado e você nem sabe o porquê! Acha isso mó injusto?

Rolou um stress! O que fazer, Ele?

Nada!

Meus caros, suas senhoras são humanas (eu espero!) e a vida de ninguém é fácil, tente respeitar, deixe quieto se possível, às vezes foi só um dia muito ruim no trabalho ou o cansaço da rotina cruel da cidade pegando. Aí ela, por ou sem querer, estourou em você, o que é normal, porque você é o porto seguro dela. Com você ela tem liberdade de sentir o que bem entender! O quanto isso é bom, só cabe a você definir.

Óbvio, não estou pedindo para aceitar feito um idiota, se todo dia ela chegar e pisar na sua cabeça. O ataque de estresse acontece, mas se for rotina e todo dia ela vier cheia de mimimi e má notícia, manda procurar um psicólogo ou, se for necessário, você um segurança, rs.

Um relacionamento não é só amor e beijinho para lá e para cá, em muitos momentos temos que ser firmes como rochas para aguentar o tranco e, quase ao mesmo tempo, sensíveis como um artista para compreender a situação e transformá-la numa boa ou na menos pior possível.

Nunca se esqueça, se hoje é ela que está de mau humor e irritada, amanhã com certeza pode ser você! Então não vacila à toa!

Idade importa no relacionamento?

Por Ela:

Vamos começar com alguns questionamentos… A diferença de idade do casal interfere no relacionamento? O que é melhor: a mesma idade, mulher mais velha ou homem mais velho?

Todo mundo diz que homem amadurece mais devagar e isso realmente pode ser comprovado, principalmente na adolescência. É comum meninas do Ensino Médio preferirem caras da faculdade. Os meninos da sua idade geralmente ainda não têm maturidade para um relacionamento e seus interesses são completamente diferentes: na maioria das vezes, querem curtir, querem saber só de balada, pegação, bebida e não deixam de lado o videogame, o futebol e a zoação com os amigos. Enquanto os meninos estão na fase das brincadeiras de mão, as meninas já são mulheres, pensam no futuro, fazem planos e se tornam mais responsáveis (se bem que nem todas).

Mulheres

Na fase adulta, as diferenças entre homens e mulheres da mesma idade são menos discrepantes, mas ainda existem. Os homens ainda parecem mais imaturos do que as mulheres e muitos ainda repetem os comportamentos de adolescentes. Quanto ao videogame, ao futebol e às brincadeiras bobas com os amigos… é mulherada, parece que isso não tem cura! Nem Darwin explica!

http://www.playstorm.com.br/pitacox-12- Fonte: noe-cinema-religiao-e-evolucionismo/
http://www.playstorm.com.br/pitacox-12-
Fonte: noe-cinema-religiao-e-evolucionismo/

E por que eu namoro um cara mais novo, então?! Boa pergunta! Pergunto-me isso sempre! Brincadeira! Na verdade, chega uma idade em que a diferença dos anos de vida entre homens e mulheres parece não influenciar muito. A minha tese é de que os homens param de amadurecer nos anos finais da adolescência e, por isso, na fase adulta já não importa mais sua idade, todos terão a mesma maturidade.

Brincadeiras à parte, não acho que a idade influencie muito num relacionamento não (depois de adultos). Na adolescência, pelo contrário, pode influenciar um pouco mais por estarem em momentos de vida diferentes. Mas que menina nunca se exibiu com um namorado mais velho, com carro, deixando seu pai careca?!

Quando adultos, o que importa mesmo, além do amor (quesito básico), é que o casal se identifique, compartilhe do mesmo momento de vida e inclua seu parceiro nele, que faça planos juntos, que se entendam (mesmo sendo opostos como no nosso caso) e que tenham como objetivo maior serem felizes juntos!

Claro que, às vezes, eu fico maluca com a falta de planos d’Ele, mas pelo menos Ele me inclui nos poucos que tem e, principalmente, em todos os seus momentos inesperados. Own… Ele é meu bebê, meu pirralho (só disse isso pra provocar, porque Ele odeia ser chamado assim!).  Ele me diverte, me faz rir, me desestressa e me deixa ser eu mesma, sem medo ou insegurança que talvez teria com um cara mas velho. Ah, meninas, além disso, tem outro lado bom de caras mais novos: forma física melhor, resistência pra hora h… muita resiliência! É, no final, acho que vale a pena! rs

Jacob
Ele vai me matar quando vir essa foto (e eu ainda peguei leve, ele tá de camisa!), mas é só porque no filme (Saga Crepúsculo) o Jacob é mais novo do que a Bella.

Falando sério agora, mais velho, mais novo, da mesma idade: não importa! O que importa é o amor, a amizade, a parceria e a cumplicidade. Como já dizia Antoine Saint-Exupéry, em O Pequeno Príncipe:

As pessoas grandes adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, elas jamais se informam do essencial. NãO Pequeno Príncipeo perguntam nunca: “Qual é o som da sua voz? Quais os brinquedos que prefere? Será que coleciona borboletas?” Mas perguntam: “Qual é sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?” Somente então é que elas julgam conhecê-lo. (…) Mas nós, nós que compreendemos a vida, nós não ligamos aos números!

Por Ele:

Se o assunto é amor, não há regras. A gente nunca sabe quando ele vai bater na porta, ele só aparece e você aceita e sofre as consequências. A questão é que às vezes esse sentimento não atrai para você um clone seu, ele traz pessoas diferentes, para te completar e é sobre uma dessas diferenças que vamos falar hoje: Diferença de idade.

Casais com idades diferentes, estão cada vez mais comuns, contudo a questão ainda é um tabu para muitas pessoas, principalmente se a pessoa mais velha for a mulher. Acredito que isso venha de um preconceito bobo que toda mulher busca um provedor, másculo e que possa protegê-la e ter o respeito e a experiência da idade. Mas isso em pleno século XXI já é uma questão de escolha, pois com a emancipação feminina isso se tornou até meio bobo. Enfim, não tô aqui para julgar ninguém.

Os relacionamentos com mulheres da mesma idade ou mesmo mais novas têm vantagens muito agradáveis, provavelmente vocês dois ainda terão os mesmos gostos e muitas vezes os mesmos sonhos, o fogo, que é fogo mesmo, pouca expertiosukitaiência e muita vontade, e a segurança de estarem lado a lado, como BFF, para passarem juntos o que vier da vida, isso sem contar a parceira de baladas que você pode ter, meu caro amigo. Essas questões é que na minha concepção fazem um homem procurar mulheres mais jovens, é uma forma de rejuvenescer. Mas não há só vantagens e vamos às desvantagens: insegurança, isso é foda, e se contar que, no caso de jovens, as incertezas da vida, tudo está começando, então o seu relacionamento dificilmente será o último.

Já no relacionamento com uma mulher mais velha encontramos outras nuances, ela já não tem mais aquela falta de confiança em si, já sabe o que é e até onde pode chegar, ali estão as regras para ter o coração dela, siga e será feliz, não siga e ela sabe que vai viver, quanto mais velhos, menos amores eternos…

Estar com uma mulher mais velha (entreguei!) é aprender com o que ela viveu e isso conta na hora de não cometer os erros que já cometerAshton demi- o casaçam com ela e manter sempre o relacionamento mais feliz. Isso sem contar a ausência do ciuminho desnecessário e a liberdade de saber que cada um tem seu espaço e o namoro não funde o casal em um só. Eu sei, tô escrevendo uma Ode às mulheres mais velhas, mas fazer o quê? Não posso evitar.

Importante: Vamos joga limpo aqui, nada disso é regra. Às vezes encontramos em um estereótipo as qualidades do outro e vice-versa. Estamos falando de seres humanos e todos somos diferentes, o texto reflete um pouco da minha experiência curta de vida. E outra, quem constrói o relacionamento é o casal e sem amor nada vai para frente. Escolha com quem quer viver e viva, isso é que é importante..

AH, se quiser frequente bailes da 3 idade, vai que cola, né?

Lugar de Casal é na Cozinha!

Por Ele:

A cozinha é o segundo cômodo da casa que eu mais gosto (o primeiro é o quarto, por motivos óbvios)! Ela funciona como uma sala 2.0, porque além de poder sentar e conversar, a cozinha tem o aconchegante fato de ter comida sempre ao alcance das mãos. Além disso, ela pode ser mais do que um simples lugar onde se cozinha, na minha casa a vida gira em torno dela e é por isso que às vezes obrigo Ela a jantar na mesa. Para mim isso é um costume muito importante, é durante o jantar que a gente conta como foi o dia e tudo mais, isso faz bem para a relação.

Casal3

Infelizmente não sou um grande mestre cuca, então nem sempre a comida que posso fazer é incrível, mas como Ela nem chega perto do fogão… É o que temos  para hoje.  Mas como assim ela não cozinha? Ah mano! Deixa de machismo, na minha relação o lugar d’Ele é no fogão, e ai … se a batata assada ficar zoada, o coro come.

CASAL2

Além do comer e conversar o encontro na cozinha gera união. Um ajuda o outro na hora de fazer o rango ou mesmo os dois se molham na hora de lavar a louça.  Uma coisa é verdade universal, Você, meu caro irmão, cozinhe! Prepare lanches ou qualquer coisa que alimente, isso demonstra carinho, amor e atenção e vai impressionar sua senhora.

Casl2

Por Ela:

Casal na cozinha? Sabe aquela tradição de que a mulher devia ficar em casa preparando o jantar para que quando o marido chegasse faminto e cansado do trabalho pudesse apreciar uma comida caseira bem gostosa (e ainda reclamar dela!)? Pois é, o Casal não se encaixa nessa tradição.

Primeiro porque eu não me vejo uma dona de casa e muito menos uma super cozinheira! Não tenho nenhuma pretensão de parar de trabalhar e, portanto, se eu e Ele vamos passar o dia fora trabalhando, por que preparar o jantar seria só minha responsabilidade? Nada disso! Divisão de tarefas!

Outro grande motivo é que eu nunca gostei muito de cozinha e ainda menos de cozinhar. Ok, preparar uns doces acho até legal, mas a melhor parte é, sem dúvidas, comê-los! Ele não liga nenhum pouco para doces, o que já desanima essa minha produção. Agora, de comida salgada nunca fui muito fã, nem de comer, nem de fazer. Curto uma besteira! Adoro uma pizza ou uma lasanha da Sadia! Comida prática e gostosa é o que há! – Pena que não é nada light!

Um terceiro motivo pra eu não gostar muito de cozinhar é CARNE! Sou vegetariana e não teria coragem de preparar uma carne, nem tanto por ideais, mais por nojo mesmo. Mas como diz Ele, sou uma vegetariana de batata-frita! Gosto de saladas e outras comidas saudáveis também, mas nada como batata-frita, chocolate, Coca-Cola, pipoca e sorvete!

Bom, se já não é fácil cozinhar, tem uns pratos vegetarianos então que eu nem me arrisco! Sou cozinheira de micro-ondas, fato! Até o brigadeiro é de micro-ondas!

 Ele já manda bem melhor na cozinha do que eu – como se cozinhar melhor do que eu fosse muito difícil, né? – Os carros-chefes d’Ele são tapioca e batata recheada. Ok, são pratos simples, mas eu adoro e não me importo de comer sempre que vou na casa dele!

No nosso caso, é Ele quem cuida da cozinha e, às vezes, até me manda ir fazer outra coisa enquanto está cozinhando – tudo bem, porque além de não cozinhar eu fico colocando defeito, mas é só por causa dos meus toques de higiene, de resto não reclamo! Mas é que homem na cozinha… ai ai viu! Eles não são tão cuidadosos e limpinhos, mas, como diz o ditado “o que os olhos não veem o coração não sente”, melhor não ver o que Ele apronta durante o preparo (afinal, “o que não mata, engorda, né?!).

No final das contas, eu sempre acabo comendo e gostando do que Ele preparou.

A diferença entre nós dois é que Ele não sabe muito, mas curte cozinhar e eu não sei e não curto muito (não tenho tanta vontade assim de aprender). Nunca fui de ficar na cozinha, sempre gostei de comer na sala ou até no quarto enquanto fazia outra coisa, como ver TV, estudar ou ficar na internet.

Mas enfim, vamos ao que interessa: lugar de casal é na cozinha! Hoje, posso dizer que sim, concordo com essa colocação! Aprendi a gostar de comer, de cozinhar nem tanto, mas cozinhar com Ele é sempre muito divertido (dois desastrados) e romântico também! É uma relação de parceria, paciência (para o que dá errado), de conexão e, principalmente, de amor, afinal, dizem que o amor é o melhor tempero, não é?! E mesmo que as receitas culinárias não deem certo, garanto que essa é uma receita deliciosa para um bom relacionamento! E rende infinitas porções!

Viagem com os amigos

Por Ela:

Festas de final de ano, férias, época tão esperada para viajar, curtir com os amigos e com a família ou simplesmente descansar.

A viagem de férias é sempre um tema polêmico, principalmente em casal, pois não é fácil agradar a todas as preferências. Ficar em casa mesmo e fugir da loucura e dos preços altos dessa época do ano? Viajar para a praia, para o interior? Relaxar, tomar sol, praticar esportes radicais, ir pra balada ou dormir cedo para aproveitar o dia? Fazer uma mega viagem cheia de luxo e conforto ou algo mais de boa, sem gastar muito? Que tipo de viagem: romântica, a dois; curtir com os amigos ou passar um tempo com a família?

São muitas as opções que dependem das preferências do casal, da disponibilidade de tempo e também financeira.

Ah, tem também a opção do casal viajar separado, cada qual com seus amigos ou família. Acho que viajar com a família causaria menos discussões, mas viajar com os amigos já é mais complicado… Depende muito dos amigos, do tipo de viagem, da pegada em que eles estão, pois quando são solteiros e querem curtir a noite com muita pegação, não é uma viagem apropriada para amigos comprometidos.

Mas podemos conciliar duas opções: que tal viajar em casal com os amigos? Acho super válida essa opção, desde que você saiba dar atenção a ambos os lados e respeitar seu parceiro. Por exemplo, se você está viajando com seus amigos, é importante que sempre verifique como seu parceiro está se sentindo, se está à vontade e se está curtindo também. É complicado porque cada grupo de amigos tem um perfil próprio, preferências e “tradições” que as pessoas de fora podem não se identificar tanto, por isso, seu papel nesse momento é tornar a viagem o mais agradável possível ao seu parceiro e curtir com ele também.

Homens quando se unem com os amigos parecem moleques: brincadeiras de luta, videogame, fazem artes, desafios, brincadeiras inconsequentes, fazem tudo o que os amigos propõem… Nesses momentos, a mulher se pergunta quantos eles têm e onde foi amarrar seu burro…

Fonte: http://cidadaniavirtual.com.br/entretenimento-e-comportamento/
Fonte: http://cidadaniavirtual.com.br/entretenimento-e-comportamento/

Mulheres quando se juntam é para fofocar, dar risada e pra cuidar da beleza, claro que não deixam tudo de lado e, mesmo nesses momentos mais descontraídos, preocupam-se com tudo o que é preciso fazer e, às vezes, rola até um estresse na divisão das tarefas. Os homens em meio a tudo isso enlouquecem com a falação, com as ordens e o estresse da mulherada!

Mulheres 2

É, eu disse que não é fácil agradar todo mundo… Por isso, a receita pra uma viagem como essa não acabar em DR é dividir a atenção: curtir com os amigos, brincar, fofocar e também aproveitar alguns momentos mais românticos a dois.

Mantenha o equilíbrio e ótima viagem!

Curtir com os amigos

Por Ele:

Férias! Até que enfim um descanso merecido e justo. Trabalhamos e suamos muito o ano inteiro para termos direito a esses dias para descansar e recuperar a energia. Mas aí que vem a pergunta, aonde? Rola ficar em casa e ver o tempo passar ou é melhor fugir para outro lugar e curtir?

A resposta, na minha opinião, é bem simples, é obvio que é melhor viajar, conhecer um lugar novo, ter grandes experiências e descansar, só que quando você namora,  isso se torna um assunto a ser discutido pois, talvez, ela não curta aquele seu plano de ir sem um real no bolso até Machu Picchu de carona, às vezes ela só quer praia e sol para relaxar.

Não se preocupe meu caro, existe uma solução para seus problemas. Junte uns amigos do casal e faça as malas, não é Machu Picchu e pode até não ser praia também, mas a boa companhia está garantida.  Viajar com sua namorada e os amigos é como unir o melhor dos dois mundos.

O fato é que a ideia é realmente boa, mas cuidado, pode dar bem errado.  Eu recomendo saber equilibrar muito bem esse rolê. Tem que ter noção que os amigos são dez, mas passar um tempo com a sua mulher é 1000.  Me ouça e mantenha o equilíbrio, vai tornar a experiência fantástica para os dois.

Se você souber dosar a curtição, escolher um lugar que agrade aos dois, a viagem com os amigos tá liberadíssima. Se ela não curte os “caras”  e odeia o lugar, é bom pensar 30 vezes antes de partir, pois você também não ia curtir ficar em um lugar lotado de gente que você não gosta. Parcimônia é a lei que rege essa viagem. Se jurar aplicá-la, faça as malas, abrace seus amigos, beije sua mulher e parta.

Feliz Ano Novo!

Adeus ano velho, feliz ano novo!

E 2014 se foi e deixou lindas lembranças para todos nós. Cada dia que passou foi especial, realizamos sonhos, trabalhamos, brigamos e caminhamos para o futuro, juntos, como o Casal mais feliz do mundo!

fim de ano 2

Agora 2015 já bate na porta e devemos recebê-lo com todo o entusiasmo possível. Só assim faremos dele o melhor de nossas vidas! E vai ser, ô se vai! Ame, beije, viaje, estude, trabalhe e faça sempre o que te faz feliz. O casal deseja a todos o mais perfeito ano novo, cheio de amor, grandes ideias e conquistas, para que todos nós sejamos muito felizes hoje e sempre!

fim de ano 3

Promessa de ano novo?
Nós temos uma!
2015 vai ser épico!