Modo Manual na Prática e seus Atalhos

Antes de compreender a importância de dominar cada configuração de seu equipamento e as profundas mudanças que vão ocorrer na sua forma de encarar e vivenciar a fotografia, é necessário desvendar a mecânica do processo e suas implicações práticas.

Hoje vamos explorar nosso equipamento e compreender o que é importante identificar antes de começar a clicar. Embora você possua acesso imediato às variáveis do Triângulo de Exposição, não aconselho que você perca tempo modificando cada uma antes de cada clique. Por isso, criei uma hierarquia padrão para guiar as minhas escolhas de configuração.

Valor do ISO

ISO 3200
Clique na foto para aprender mais sobre Valor de ISO

Não é muito prudente modificar a Sensibilidade do Sensor a cada foto. Ao final de uma sessão, você vai obter imagens com diferentes níveis de granulação. A maioria dos programas de edição e tratamento de imagens, possue ferramentas que amenizam e corrigem os efeitos da granulação. Supondo que você fez 300 fotos e agora precisa tratá-las, será necessário corrigir uma a uma.

Por isso, eu escolho um Valor de ISO e evito ao máximo modificá-lo durante a sessão inteira. Procuro mantê-lo fixo mas sempre considerando as condições da luz no ambiente. Num ambiente externo, um dia ensolarado e claro, me permito diminuir o ISO, utilizando valores entre ISO100 e ISO400, mas não tenho medo de utilizar valores mais altos quando as condições de iluminação não são apropriadas. Em ambientes internos quando bem iluminados, mantenho o ISO entre 800 e 1600.

Abertura e Profundidade de Campo

aperture_jatefalei- 15
Clique na foto para aprender mais sobre Abertura do Diafragma

Uma das grandes vantagens da utilização de uma DSLR, é a capacidade de explorar a utilização da profundidade de campo na composição fotográfica e suas possibilidades criativas. Para mim, a regra é manter a Abertura do Diafragma sempre a maior possível, a não ser que a situação exija uma abertura menor e uma profundidade de campo maior.

Por isso, normalmente mantenho a Abertura próxima à maior abertura possível de cada lente. Se a situação exige uma abertura maior, aí então me permito modificar e aumentar o valor de ISO ou diminuir a velocidade.

Velocidade do Obturador

interação_jatefalei-2
Clique na foto para aprender mais sobre Velocidade do Obturador

Mantendo um ISO pré determinado, e uma abertura, normalmente ao máximo, garanto a exposição balanceada na maioria das cenas, mas é necessário realizar ainda o “ajuste fino” para pequenas modificações de cada situação e para cada tipo iluminação. Nesse momento, prefiro realizar pequenas mudanças na velocidade do obturador para obter a exposição correta.

Para objetos estáticos, com a prática e alguma concentração, é possível diminuir a velocidade à valores como 1/30, se necessário. Fotografar pessoas ou objetos em movimento exige velocidades maiores se o seu objetivo for congelar a imagem, depende da velocidade dos movimentos, em média, recomendo valores entre 1/60 ou 1/80 como velocidades mínimas para evitar o arrasto de movimento.

Essa é a minha Hierarquia para que a operação em modo manual não se torne extremamente lenta e ineficiente, seguindo essa sequência de decisões, me permito fotografar com mais agilidade e observar melhor a situação que estou fotografando, estando “mais presente” na situação, sou capaz de fazer melhores escolhas de enquadramento e até mesmo do momento ideal para o registro.

Anúncios

Comente este Post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s