Inspirações – Mark Cohen e a Fotografia de Rua Intrusiva

A fotografia em sua forma artística é a arte da observação, e não é uma arte nova como já conversamos, lembra? Muitos já vieram antes de nós e muitos virão depois. Por isso, é fundamental para qualquer um que queira desenvolver seu olhar, que observe o que já existe, o que já foi feito, para que a partir daí se desenvolva o novo, o inédito, o pessoal e criativo. Por isso, de tempos em tempos eu quero apresentar as minhas referências. Os meus mestres pessoais que inspiram e direcionam meu olhar.

A forma mais acessível e ao mesmo tempo uma das mais complexas vertentes da fotografia é a Fotografia de Rua. É por onde muitos começam, mesmo que timidamente, e que se desenvolvem ao longo dos anos na técnica e nos conceitos. Nessa vertente, um dos grandes desafios é vencer o receio de sacar sua camera em público, mirar um total desconhecido e captar o momento. Hoje quero mostrar um dos mestres na arte de não se importar, Mark Cohen.

markcohen1Nascido em 1943, começou a fotografar aos 13 anos com uma câmera de brinquedo. Em 1966 abriu um estúdio fotográfico comercial. Foi reconhecido não por seu trabalho em estúdio, mas sim por seu trabalho nas ruas. Vou deixar os detalhes biográficos para o Wikipédia e me ater ao trabalho de Cohen.

maxresdefaultImagine-se andando tranquilamente pela rua, quando um completo desconhecido se aproxima, aponta uma camera e dispara o flash, capturando sua imagem e se afastando da mesma forma como se aproximou. Era assim que Cohen fotografava.

mark-cohen-005Suas imagens são criadas na fluidez das ruas, mas não são criações neutras. Ao se aproximar, Cohen cria um momento único de profundo estranhamento entre o artista e o fotografado. Ele se insere, aparece na imagem mesmo que sem ser visto. Você encontra o artista refletido nos olhares daquelas pessoas.

Mark CohenCohen encara o fotografado da mesma forma como o fotografado encara você. É uma troca atemporal de olhares. Você é transportado sem chance de se desvencilhar daquele momento, você interage com o fotografado da mesma forma como Cohen interagiu. Aqui encontramos uma das características da fotografia que mais me atraem e me intrigam: As consequências de se quebrar as regras.

ja_te_falei_mark_cohen (jumprope- blue sky gallery)Como técnica, a fotografia deve seguir uma série de regras e recomendações para ser realizada com perfeição. Mas é quando as regras são quebradas que as coisas ficam interessantes. O recorte do olhar de Cohen é estranho ao nosso olhar cotidiano. São recortes obcecados de detalhes que passariam totalmente despercebidos em nosso dia a dia.

ja_te_falei_mark_cohen (man flinching - blue sky gallery)Todos nós já nos pegamos andando por aí e reparando em qualquer detalhe do mundo e das pessoas a nossa volta que nos chamava a atenção. Escolhemos não nos aproximar, não interagir e muito menos registrar tais momentos, mas Cohen quebra essa bolha social, muitas vezes de forma desrespeitosa ou inapropriada, mas isso é inerente à arte, não? A coragem de ir além e fazer o que ninguém faria.

Abaixo, seguem alguns links para mais trabalhos de Mark Cohen:

The Guardian sobre Mark Cohen
Galeria Le Bal
Blue Sky Gallery
Artigo por eighteen39 – “I put the camera right into the picture” – Mark Cohen
Artigo por Erick Kim – 14 lessons Mark Cohen thought me about Street Photography

Anúncios

Sobre cegos, desespero e capitalismo

desespero

Desesperado em meu sumiço, não entendo o desperdício da minha vida que se corrói, acordo, como algo, vou pro buso de mal grado, a noite mal dormida ainda me dói. Desesperado, penso em me matar, mas não adianta diminuir a minha dor. Eu sou só mais um para reclamar, de quê? Talvez, dos cês! Por quê? Tenho que ser… Você?

Há tempos que me dói e ninguém me dá uma aspirina. Ir para o trabalho, ser ordenhado, minha sina sempre foi. Já não faço ideia de quem sou, nem sei onde meu corpo se meteu para cair nessa labuta que me esgana, meritocracia só me engana, vou atender ao telefone até morrer e duro é saber que se eu não foder ninguém, nunca vou chegar lá (????).

Nem adianta vir me lembrar de que sou alguém e que preciso me destacar. De criança, me despiram de qualquer vontade a ponto de eu nem saber se existo de verdade. Sei pintar, sei desenhar, jogar malabares e atuar, mas minha identidade é um monte de número e isso tenho que aceitar. O dia acaba, eu perco emprego, peço arrego e vou pro bar.

Desesperado em meu sumiço, não entendo o desperdício da minha que se corrói, chego em casa, a novela me dá sexo e o horário político fala em progresso e não tenho grana para comer, se liga na loucura que o mundo se figura e eu tenho que viver. Viver do quê? Pra quê? Para que sobreviver?

Engulo a ironia, acordo cedo pro outro dia e me espremo no metrô. Vou atrás de um trabalho para dar sentido às coisas, porque não adianta só respirar. Quando consigo satisfação, meu novo trabalho é muito bom, vou ser parte da produção de algo que não sei o que é. Mas os parafusos estão sempre presos e um dia, com sorte, serei um grande colocador de óleo nas máquinas que comandam a fábrica.

Reduzindo a velocidade, paro para pensar, viver não é muito bom, é sempre como ser o alvo para acertar, existir é obrigação, mas ninguém nem vai notar, porque no limite somos todos invisíveis a olho nu.

 

KITCHENAID. . . COMO TRAZÊ-LA EM SEGURANÇA !!!

Viagem_Orlando

Como disse no meu primeiro post que daria dicas de como trazer a sua KitchenAid e outros utensílios em segurança, está ai a oportunidade de saber um pouco mais de como aconteceu. Deu super certo, mas como qualquer um, fiquei com o coração na mão.

Recentemente fiz uma viagem para o exterior, mais precisamente para Orlando, a primeira coisa que pensei foi, além de tudo o que eu iria visitar, é… finalmente vou comprar a minha KitchenAid !!!

Pensei comigo, é um sonho que eu vou realizar, comecei então a guardar uma grana para poder comprá-la e também comprar outras coisas de cozinha, essa reserva eu comecei com uns 5 meses de antecedência, isso no meu caso, mas quem já tiver a possibilidade de ter um tempo maior, é melhor.

Muita gente me dizia, nossa você vai trazer uma batedeira !! Tanta coisa que você pode trazer como roupa, sapatos, perfumes, enfim… quem conhece, sabe o quanto significa, não importa o trabalho que dê e sim a satisfação de poder ter uma.

Desde o começo sabia que eu teria a possibilidade de abdicar de uma das malas que eu poderia trazer, para que no lugar dela fosse a minha batedeira, pois eu sei o quanto ela pesa e o espaço que ocupa. Comecei então a pesquisar onde eu poderia achá-la, a partir do lugar que eu ficaria… pedi ajuda de alguns amigos que já foram pra lá e outros que moraram lá também.

Lojas_DepartamentoAchei alguns lugares bem conhecidos como a TARGET, WALMART, MACY’S, BED & BATH BEYOND, BEST BUY E MARSHALLS enfim… o jeito foi pesquisar em todas as lojas, pois poderia ter promoções.

Se você não for muito exigente com alguma cor específica, tudo ficará mais fácil e poderá comprar nessas lojas, que estão espalhadas por todo o lugar. Nos supermercados como o WALMART, as pretas e as brancas são bem mais fáceis de se achar. As coloridas são mais chatinhas de se encontrar, mas se você der sorte poderá encontrar em algumas dessas lojas como na MARSHALLS, que foi aonde eu encontrei a minha. Além das grandes lojas, quase todos os Outlets tem alguma loja de artigos para cozinha e normalmente tem alguma KitchenAid por lá.

Foi um achado pois a minha batedeira saiu por menos de U$ 220,00 dólares com impostos e detalhe, chegando aqui no Brasil não precisei pagar impostos sobre o produto, sendo assim pude comprar mais coisas que eu não planejava trazer, já aqui no Brasil ela não sai por menos de R$ 2.000,00. O que acontece é que realmente ela é um “trambolho” para carregar e só vale a pena se você deseja muito, como no meu caso.

Comprei a batedeira e fiquei com uma dúvida muito grande… se a traria na caixa como um dos meus volumes permitidos ( 2 malas por pessoa de até 32 kg ) ou se tiraria da caixa e traria na mala junto com outras coisas que tinha comprado. Como minha mãe tinha comprado roupas para a minha sobrinha, decidi então trazer na própria caixa como um de meus volumes. Foi aí que pensei em colocar quase todas as roupas dela dentro da caixa, como se fosse um forro, uma proteção a mais, além do suporte de isopor que ajuda e muito a proteger a batedeira.

Como as roupinhas dela eram pequenas, fui fazendo rolinhos e colocando em cada espaço que eu encontrava, no final das contas eu tinha colocado quase toda as roupas dela. Com a caixa fechada, porém não satisfeito, forrei em torno 2 cobertores da M&M’s que ganhei quando fui fazer compras na loja e não contente, ainda coloquei plástico bolha em volta, por fim, coloquei algumas faixas de papel escrito “FRAGIL”, todo cuidado é fundamental, pois não é qualquer batedeira, é uma KitchenAid.

O pior ainda estava por vir, na hora de ir embora tive que despachá-la, mas foi em outro compartimento, só onde iam as caixas. Fiquei com o coração na mão, pensei nela a viagem inteira. Já aqui no Brasil quando eu à vi na esteira, vindo em minha direção, pensei… graças a deus ela chegou, agora só chegando em casa para saber realmente se ela chegou sã e salva e sim, a minha batedeira chegou em perfeito estado, sem nenhum arranhão ou amassado.

Batedeira_kitchenaid

Inspeção_BagagemResumindo, ela chegou muito bem, mas em minhas coisas achei um bilhetinho da TSA, dizendo que a minha mala foi aberta antes do embarque no EUA para inspeção do que tinha dentro. Mas não por causa da batedeira e sim porque eu estava trazendo muitas peças de metal na mala, mas chegou tudo direitinho, do jeito que eu tinha feito a minha mala antes de sair do hotel.

Espero ter ajudado bastante você com esses detalhes. Compre, gaste, traga muita coisa !!! Quero saber de você que também trouxe a sua de fora, como aconteceu? Como foi a sua experiência ?

Fique ligado nas novidades do TE FALEI !!!

 

Embriaguez em Serviço

sign-no-alcohol_jatefalei_juridico

Já te falei que a embriaguez no ambiente de trabalho é um ato faltoso grave, passível de causar demissão do trabalhador por JUSTA CAUSA?

Justa causa é todo ato faltoso, cometido pelo empregado, que faz desaparecer a confiança e a boa-fé existente entre trabalhador e empregado, tornando indesejável a continuidade da relação empregatícia.

Os atos faltosos do empregado podem referir-se não só às obrigações específicas de execução contratual (embriaguez em serviço) como também à conduta pessoal do empregado que possa refletir na relação contratual (embriaguez habitual).

Convém esclarecer que, para a aplicação da justa causa, o ato faltoso deve ser grave, ou ainda, caso não seja grave, basta que o empregado seja reincidente na mesma conduta faltosa. Neste último caso, em regra, o empregador deve aplicar sanções gradativas sobre o mesmo fato, por exemplo, primeiramente a aplicação de até 2 advertências por escrito, e com a reincidência deverá aplicar 1 suspensão disciplinar, e por último a penalidade de justa causa.

Outrossim, a dispensa por justa causa deve ser aplicada de forma imediata, ou seja, tão logo o empregador tenha ciência de sua prática, a fim de não caracterizar o perdão tácito.

Assim, o artigo 482, f da CLT, é claro em elencar a embriaguez habitual e a embriaguez em serviço como causas de rescisão do contrato de trabalho por justa causa:

Art. 482 – Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador:

. . .   f) embriaguez habitual ou em serviço;

Qual a diferença entre uma e outra?

A embriaguez habitual está caracterizada pelo consumo contínuo e anormal de qualquer substância psicoativa, ou seja, quando o trabalhador substitui a normalidade pela anormalidade, tornando-se um alcoólatra, normalmente patológico.

Atualmente a embriaguez habitual vem sendo reconhecida como doença. Nossos Tribunais estão declinando a uma tendência mais humanitária, entrando no contexto da patologia, questionando muitas vezes, se a medida efetiva não seria um tratamento médico ao invés do despedimento do empregado com justa causa.

EMBRIAGUEZ HABITUAL. REINTEGRAÇÃO. Há tempos a jurisprudência abandonou o disposto nos termos do artigo 482, f da CLT como razão para rescisão motivada de contrato , posto que a embriaguez habitual é considerada uma doença. Diante do estigma social que acompanha o alcoólatra, é natural a sua resistência inicial, e há que se conceder um período razoável de tempo para que ocorra a conscientização da necessidade de tratamento, o que não advém em uma simples consulta. O empregado serviu à Prefeitura por catorze anos. O problema era recorrente e de conhecimento da reclamada há um bom tempo. Não foram adotadas medidas disciplinares com caráter gradual, como advertências, suspensões. A prova documental acerca do oferecimento de tratamento médico é frágil e não demonstra, satisfatoriamente, a recusa reiterada do reclamante em se submeter ao tratamento oferecido, sem prejuízo ao seu emprego, além de nada provar sobre encaminhamento ao INSS. Não pode se esquecer o empregador, e mormente quando este é o próprio Município, sua função social. Não é correto descartar o empregado como se fosse um incômodo problema, devolvê-lo à sociedade sem condições de sustento próprio e cada vez mais afundado no vício, adotando, na verdade, como providência e de imediato a pena máxima da demissão motivada. Cabe ainda considerar que de fato o reclamante não é portador de garantia provisória do emprego, mas como constado pela perícia, sendo portador de “alcoolismo crônico” o contrato não pode ser extinto enquanto o empregado estiver doente, razão pela qual também correta a determinação de reintegração do empregado determinada pelo Juízo a quo para que seja submetido a efetivo tratamento. (TRT-2 – RO: 6606920125020 SP 00006606920125020332 A28, Relator: MARIA JOSÉ BIGHETTI ORDOÑO REBELLO, Data de Julgamento: 29/10/2013, 11ª TURMA, Data de Publicação: 06/11/2013)

Assim, temos que, pelas decisões jurisprudenciais, neste caso de embriaguez habitual não é conveniente a empresa demitir o funcionário por justa causa, sendo mais admissível o empregador encaminhar seu empregado ao setor de Medicina e Segurança do Trabalho para avaliação ou na falta deste, afastá-lo por auxílio-doença para fins de tratamento de saúde, buscando sua recuperação.

Já a embriaguez em serviço se refere ao empregado que chega bêbado ao trabalho, ou àquele que ingere álcool em serviço. Contudo, o estado de embriaguez deve ser inequívoco e aparente, que se manifesta pela perda do raciocínio ou do discernimento. Neste caso o indivíduo se torna incapaz de exercer com prudência até mesmo as mais singelas atividades.

Além do álcool, a intoxicação pode ser causada pelo consumo excessivo de qualquer droga psicoativa, na qual o indivíduo chega a romper com os freios morais.

RESCISÃO CONTRATUAL POR JUSTA CAUSA. EMBRIAGUEZ EM SERVIÇO. A embriaguez em serviço está tipificada no art. 482, alínea ‘f’, da CLT, como falta grave ensejadora da demissão por justa causa, bastando que esta ocorra uma única vez. No entanto, a reclamada preocupou-se em tentar corrigir a conduta do autor mediante aplicação de penalidades (uma advertência e duas suspensões) ao longo do vínculo empregatício, oportunidades desprezadas por ele. Assim, constatado que o autor apresentava-se em serviço sob efeito de bebida alcoólica, justificada a demissão por motivada. Recurso ordinário desprovido. (TRT-10 – RO: 749201101810001 DF 00749-2011-018-10-00-1 RO, Relator: Desembargadora Maria Piedade Bueno Teixeira , Data de Julgamento: 25/01/2012, 2ª Turma, Data de Publicação: 10/02/2012 no DEJT)

Para a configuração da justa causa, é irrelevante o grau de embriaguez e tampouco a sua causa, sendo bastante que o indivíduo se apresente embriagado no serviço ou se embebede no decorrer dele.

APELAÇÃO. DEFESA. EMBRIAGUEZ EM SERVIÇO. AUSÊNCIA DE LAUDO DE DOSAGEM ETÍLICA. O Laudo de dosagem etílica é prescindível, havendo outros meios para se atestar o estado de embriaguez do acusado.A alegação de que o militar não mais se encontrava em serviço não é acolhida quando demonstra que se encontrava cumprindo serviço de Cabo da Guarda e abandonou o serviço antes da parada diária, quando se dá a passagem do turno de serviço.A conduta de militar que consome bebida alcoólica, embriagando-se no interior do quartel, não pode ser considerada insignificante, já que é extremamente perigosa, colocando em risco a incolumidade física de outros militares e até mesmo a si próprio, vezque presta serviço armado.Apelo desprovido. Unânime. (STM – AP: 371520117110011 DF 0000037-15.2011.7.11.0011, Relator: Marcos Martins Torres, Data de Julgamento: 14/02/2013, Data de Publicação: 08/03/2013 Vol: Veículo: DJE)

Contudo, os juízes dos Tribunais Trabalhistas já decidiram que a ingestão de bebida alcoólica no período destinado ao intervalo para alimentação e descanso não é motivo suficiente para a demissão por justa causa do empregado – a não ser que o mesmo exerça a função de motorista.

Justa causa – embriaguez – inocorrência. Se o empregado, no seu horário de almoço, ingere bebida alcoólica, com moderação e apenas como acompanhamento da refeição, não se configura a justa causa para a dispensa do empregado a ingestão de cerveja, comprovadamente fora do período de trabalho (TRT da 3ª R., 2ª T., RO 13.129/95, j. 12-12-95, Rel. Juiz Bolívar Viegas Peixoto, DJ MG II 26-1-96, p. 93 apud MARTINS, 2008).

Já no caso daquelas empresas que fornecem refeição dentro do estabelecimento de trabalho – refeitório dentro da empresa – é possível a proibição aos funcionários de ingerir bebida alcoólica durante o almoço. Assim, aquele que trouxer a bebida de fora, estará desrespeitando as normas da empresa, mas também não caracteriza a justa causa do art. 482, da CLT.

É comum encontrarmos decisões em que a dispensa por justa causa com fundamento na embriaguez é descaracterizada, condenando a empresa reclamada no pagamento de verbas rescisórias decorrentes de uma dispensa imotivada. Segundo o TRT, o simples ato de beber não deve ser confundido com o estado de embriaguez definido na CLT como justa causa.

JUSTA CAUSA. “EMBRIAGUEZ HABITUAL” E “ATO DE BEBER”. Ainda que se admita que o autor ingeria bebida alcoólica, cumpre salientar que não há sinonímia entre a embriaguez e o ato de beber, haja vista que este não resulta necessariamente naquele. Segundo Wagner Giglio, citando a definição de embriaguez feita pela Associação Médica Britânica – “A palavra embriaguez será usada para significar que o indivíduo está de tal forma influenciado pelo álcool, que perdeu o governo de suas faculdades ao ponto de tornar-se incapaz de executar com prudência o trabalho a que se consagre no momento.” Não há razoabilidade em se admitir, no caso em tela, a “embriaguez habitual” do trabalhador. Justa causa não configurada. (TRT-2 – RO: 1498200706402000 SP 01498-2007-064-02-00-0, Relator: VALDIR FLORINDO, Data de Julgamento: 04/03/2008, 6ª TURMA, Data de Publicação: 14/03/2008)

Já encontrei um julgado em que um vigilante de uma loja foi flagrado bebendo cerveja no almoço. A empresa o demitiu por justa causa. Ele entrou com ação e o juiz entendeu que para caracterizar a justa causa a embriaguez exige robusta comprovação, principalmente através de conduta irregular.

Em outra situação um empregado foi demitido por justa causa, pois chegou ao trabalho alcoolizado, entrou no estacionamento da empresa em velocidade fora do normal, quase colidindo com outro veículo. Mais tarde apresentava sinais de embriaguez, sem condições de trabalho e acabou cochilando em horário de serviço. Neste caso o juiz entendeu estarem evidentes os sintomas da embriaguez para caracterizar a demissão por justa causa.

Desta forma, não resta dúvidas de que a embriaguez vulnera a imagem da empresa, do empregado e também expõe os demais colaboradores ao risco de acidentes e sinistros. Assim, entendo que caberá ao empregador analisar sabiamente, caso a caso, para a aplicação da penalidade.

“Quinta-Feira nos Cinemas”: Erro ou Acerto?

Em Março deste ano, a data de lançamento dos filmes sofreu uma forte alteração. A habitual estreia de sexta-feira passou para as quintas-feiras, com muita desaprovação do público em geral, afinal de contas estamos falando de uma tradição antiga e muito prestigiada. Com um estudo de mercado baseado em número de pessoas e lucro diário, a FEENEC (Federação Nacional das Empresas Exibidores Cinematográficas) determinou a mudança, que já havia sido aplicada em países como Rússia, Chile, Austrália, Bolívia, Alemanha, Argentina e Peru.

cinema

Quem não se empolgava de ver na televisão o trailer de um filme aguardado com aquela voz impactante dizendo “Sexta-feira nos cinemas”? It´s OVER! O motivo? Vários! Ontem (18 de Setembro, quinta-feira) fui ao cinema conferir a estreia do filme MAZE RUNNER – CORRER OU MORRER (que aliás é incrível) e analisei os erros, acertos, pontos positivos, pontos negativos e, por fim, os resultados. Vamos à análise:

  • DIA DA SEMANA: Sextas-feiras são dias propícios para assistir uma novidade no cinema, dia de movimento intenso e natural nos estabelecimentos, enquanto as quintas-feiras são consideradas fracas para a indústria por serem o último dia da programação daquela semana, inviabilizando o crescimento de público neste dia. A solução: Trazer as estreias para as quintas-feiras, fazendo pelo menos os cinéfilos que não perdem uma estreia por nada frequentarem o cinema neste dia – apesar de a maioria deles terem frequentado as pré-estreias da meia-noite.
  • MOVIMENTO DE PÚBLICO: Para o estabelecimento, era um dia fraco de movimento. Para o espectador que prefere uma sessão vazia, era um prato cheio. Resultado: Sessões mais cheias do que habitualmente (informação baseada em minha experiência de ontem – a sessão das 21h30 estava bem cheia). Ainda há controvérsias, já que a maioria das pessoas ainda trabalha na sexta-feira logo cedo.
  • VALOR DO INGRESSO: De quinta-feira o ingresso costumava ser mais barato do que de sexta-feira. Com a nova mudança de lançamento, alguns cinemas acrescentaram o ingresso das quintas no valor de final de semana simplesmente por ser o dia da estreia dos filmes, tornando isso o nosso ponto negativo.
  • ESTREIA MUNDIAL: Quando os filmes tem data marcada mundialmente para estrear, ou somos privilegiados com o lançamento em um dia antes ou somos prejudicados pelas distribuidoras que não conseguem a liberação para lançamento antecipado e acabam por adiar o filme para uma semana na frente.
  • LAZER: As quintas costumavam ser o último dia de programação semanal dos filmes, mas agora virou uma prolongação do final de semana. Ponto positivo: mais um dia de novidades culturais na semana.

Por ser apenas uma análise, não concluo favorecendo um dia específico, nem conseguindo estabelecer como ERRO ou ACERTO, até porque analisamos aqui os dois lados: empresa e cliente – o que é benéfico para um, é ruim para outro e vice-versa. Porém, como cinéfilo de plantão, minha humilde opinião é de que esta mudança fez perder um pouco do “glamour” de tornar a estreia do filme um evento, com aquela empolgação e ansiedade de esperar até o fim da semana para assistir os lançamentos aguardados.

E pra você? Fez alguma grande diferença? Considera uma boa escolha? Enxerga melhoria? Ou prefere o tradicional lançamento de sexta-feira?

faixa_rolo_cinema_pequeno

Indicações de filmes da semana:

estrelas_cine5  MAZE RUNNER – CORRER OU MORRER  |  Direção: Wes Ball – Com Dylan O´Brien, Aml Ameen, Will Poulter, Thomas Brody-Sangster, Kaya Scodelario e Patricia Clarkson – Intrigante, eletrizando e empolgando, do início ao fim. Boa história, muito bem realizado com momentos de tirar o fôlego.

estrelas_cine1  O DOADOR DE MEMÓRIAS  |  Direção: Phillip Noyce – Com Meryl Streep, Brandon Thwaites, Jeff Bridges, Kate Holmes e Alexander Skarsgard – Nem a musa do cinema mundial Meryl Streep consegue salvar o filme do fundo do poço. Clichê com um péssimo final.

estrelas_cine2 RIO EU TE AMO  |  Direção: Fernando Meirelles, Andrucha Waddington, José Padilha, Carlos Saldanha e outros – Com Fernanda Montenegro, Marcelo Serrado, Ryan Kwanten, Rodrigo Santoro, Claudia Abreu e outros – Bonito, ótima fotografia, bem realizado, mas que deixa alguns núcleos a desejar. Ótima mistura de direção/elenco gringos e brasileiros.


Estreias da semana nos cinemas:

  • Maze Runner – Correr ou Morrer
  • Livrai-nos do Mal
  • Mesmo que Nada dê Certo
  • Isolados
  • Uma Nova Chance para Amar
  • Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola
  • Lascados

Investimento Conservador: Poupança

financas_rendendo

Os investimentos  conservadores mais tradicionais são: Poupança, CDBs, Fundos Di/Renda Fixa, Tesouro Direto e LCI. São todos investimentos conservadores, mas com características diferentes. É preciso ficar atento, alguns desses investimentos possuem imposto de renda, IOF (imposto sobre operações financeiras), travas para resgate e taxa de administração.

Vamos começar pela Poupança, caderneta de Poupança, conta Poupança, como você achar melhor chamá-la.

A poupança não possui imposto de renda e IOF (para pessoas físicas), possui rendimento mensal, Garantia do FGC¹ e você pode resgatar a qualquer momento. Por exemplo, você aplica hoje e pode resgatar amanhã, mas nesse caso não terá rendimento, pois o dinheiro não ficou aplicado por um mês.

O ideal é que você aplique na Poupança valores com objetivo superior a um mês.

Outra vantagem em investir na Poupança é que você não precisa ser um investidor com muita grana para ter acesso a esse produto, o valor inicial para investimento é baixo e você pode aplicar qualquer valor.

Lembre-se que o rendimento está totalmente ligado ao risco do investimento, como a Poupança é um investimento de baixo risco não espere um rendimento exorbitante.

O rendimento da Poupança para aplicações até 3 de maio de 2012 é taxa de juros de 0,5% ao mês + a TR (Taxa referencial). A partir do dia 4 de maio de 2012 a regra de rentabilidade foi alterada e as aplicações rendem taxa de juros de 0,5% ao mês + a TR (Taxa referencial) se a Meta da taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, quando a Meta da taxa Selic estiver abaixo ou igual 8,5% ao ano o rendimento será de  TR (Taxa referencial) + 70% da Meta da taxa Selic.

Você pode acompanhar o rendimento da Poupança diariamente nos sites das instituições financeiras, sites de investimentos ou jornais.

Maiores informações sobre a TR e a Meta da Taxa Selic você pode consultar no site do Banco Central do Brasil.

Dependendo do valor que você vai investir ou que já tenha investido, outros produtos conservadores podem ser mais rentáveis. Vamos continuar a falar de produtos conservadores no próximo post!

 

¹FGC ( Fundo Garantidor de Crédito): é uma entidade responsável em garantir a segurança dos recursos investidos, por exemplo, se a instituição em que você investiu falir, o FGC cobre até R$ 250 mil, por CPF/CNPJ, por instituição financeira.

AV. PAULISTA

  Avenida paulista

Se existe um lugar que me inspira e me encanta, este lugar se chama Avenida Paulista, suas calçadas largas e suas vias de tráfego rápido são o pulmão desta cidade, o coração financeiro e o grande palco cultural e de entretenimento.

Avenida paulista             Avenida paulista

Gosto de passear de ponta a ponta, da consolação ao paraíso e vice versa. Caminhar, ver pessoas e enriquecer culturalmente com os artistas de rua, parques, museus, diversidade arquitetônica, gastronomia variada e a realidade do contraste entre os ricos e pobres todos compartilhando o mesmo espaço.

Avenida paulista               Avenida paulista

O sentimento é indescritível, no decorrer do dia a avenida vai se transformando, alguns indo, outros chegando e muitos ficando.

Avenida paulista

Avenida paulista

Avenida paulista

Avenida paulista

Avenida paulista

 

Um único passeio pela paulista e você pode ser surpreendido a cada quarteirão, com cenas, frases, pessoas e ficar parado sem saber para que lado continuar.

Avenida paulista

Época do café e seus Barões, em 1909 foi a primeira via pública asfaltada de São Paulo, quando o asfalto ainda era novidade até nos EUA e Europa.

     Avenida paulista       Avenida paulista

Se você gosta também da Av. Paulista, escreva!  Se tem um outro ponto que goste mais em São Paulo, conte pra gente…

Eddie Gomes
“Seu Colunista de Quinta… feira, é claro”!

Fotos: Eddie Gomes

Não foi dessa vez…

E quando não rola...

Não foi dessa vez… Por Ela:

Ninguém gosta de falar ou lembrar-se de momentos assim, mas, às vezes, simplesmente não rola.

Acho que para a mulher é mais fácil aceitar. Isso não significa que ela não tenha também vontades e expectativas, mas entende a situação e pode muito bem esperar a próxima vez.

No entanto, quando isso acontece, o homem costuma frustrar-se. Com essa reação masculina, a mulher tende a consolá-lo ou agradá-lo… o que parece piorar as coisas! Ela, então, acaba sentindo-se culpada e sua imaginação começa a funcionar freneticamente em busca do(s) motivo(s): “Disse algo que não devia? Será que ele não tem mais vontade comigo? Sou boazinha demais? Não sou sexy o suficiente? Engordei? Ele tem outra? (…)”.

Pronto! A imaginação fértil conseguiu causar uma grande DR!

Vendo agora pelo lado mais sensato, podemos considerar essa situação normal, afinal, pode acontecer com tudo mundo! Não precisa ter um culpado específico. Na verdade, um conjunto de fatores (físicos, psicológicos e emocionais) pode influenciar, como: cansaço, preocupação, estresse, pressão, local desfavorável, horário, etc.

Mas, enfim, depois que aconteceu – quer dizer: não aconteceu – o melhor é tentar esquecer (esquece a piadinha)! Claro que sexo é bom e importante, mas um relacionamento envolve muito mais do que isso. O carinho, a atenção, a companhia, a parceria e o amor valem muito mais do que sexo. Não é porque não foi dessa vez que o relacionamento esteja com os dias contados! Então desencana que tudo se resolve!

Não foi dessa vez… Por Ele:

Ihh meu amigo, ferrou. O negócio não esquentou, você tá se sentindo o maior culpado e não é por menos. Passamos a vida inteira sendo educados para sermos as mais viris máquinas de sexo, mas às vezes, até a melhor das máquinas…falha e com o seu corpo não será muito diferente.

Os homens podem (e vão) jurar, zoar e negar que isso aconteceu, mas a brochada é tipo consórcio, uma hora você é contemplado. Sem nenhum empirismo acho que todo homem vai passar pelo menos uma vez na vida por isso.  Reverter a situação na hora H, pode ser muito complicado e a máxima “Nunca aconteceu isso comigo” com certeza será inútil.

Mas o que fazer? Seja digno, pô! Aceite e siga em frente, outras noites virão. Não adianta jogar a culpa nela, jogar a culpa em você, descontar em corote puro, sei lá, não vale a pena e não vai resolver o problema.

Vale lembrar que um relacionamento não é só aquela noite, o amor é mais do que isso, não há motivo para desespero (apesar de parecer, confesso) e se for só aquela, vale lembrar também que sexo não é só o pobre e triste garoto, invista em beijos e outras formas de amar (rs), pode funcionar para você  e para ela.

“After Hours” e a Inspiração do Olhar

Antes de partir para os equipamentos, técnicas e teorias, existe um degrau, o primeiro degrau a ser subido, na verdade, construído. Compre os melhores equipamentos, conheça-os a fundo, estude cada técnica, leia toda a teoria e mesmo assim você nunca fará uma foto interessante sequer se você não souber como e para onde olhar. Nós vemos o mundo frequentemente e todos vemos das mesmas formas, mas o olhar… o olhar é diferente, cada um tem seu jeito próprio, seus interesses, suas histórias, aquelas que queremos contar e aquelas que não queremos. O olhar é a essência da fotografia.

Artista e Obra
Artista e Obra

Fui convidado para na terça-feira passada dia (11/09), para a abertura da nova galeria da Vila Madalena, a Galeria Porão. Estavam presentes diversos artistas e tive a oportunidade de conversar com alguns deles. Em especial, quero apresentar-lhes um amigo meu, um artista que faz parte da coleção da Galeria Porão, Wellington Rockers.

Nos conhecemos durante uma oficina de fotografia no SESC e éramos os únicos que ousaram participar apenas com seus celulares. Eu escolhi um caminho diferente, mas Wellington continuou fotografando apenas com seu celular, e essa prática têm se popularizado entre fotógrafos e aspirantes surgindo assim a “Mobgrafia”, movimento que tem se tornado cada vez maior. Fácil entender o motivo, é uma técnologia acessível a todos que reforça o conceito de que sua bagagem, seu conhecimento e seu olhar são tão importantes quanto bons equipamentos.

fabrica_jatefalei_afterhoursMas a Mobgrafia ainda é apenas uma forma de se fotografar. Antes de clicar, seja com uma DSLR ou um celular, é necessário direcionar seu olhar. Conversando com o artista naquela noite, mudei minha perspectiva sobre a fotografia, há aproximadamente 1 ano, estou focado em equipamentos e conhecimentos técnicos e tenho deixado de lado o que eu compreendi ser o principal, o ponto de partida de qualquer um que pretende fotografar, o olhar e aquilo que o direciona.

dancing_jatefalei_afterhoursConto aqui para vocês, sem vergonha alguma, que cometi um dos principais erros quando se conhece um artista frente à sua obra: Perguntei significados, perguntei porquês, perguntei de onde veio a inspiração para algumas das obras. Recebi as mesmas respostas: Quando você cria algo, você cria para o mundo, dá vida, e sua obra vai viver longe de você depois que está fora, não é mais sua, Cada observador encontra um significado e um motivo, apenas a inspiração muitas vezes é palpável e rastreável. Um certo colunista Surreal de um Blog que eu Já te Falei, Lucas Alves estreou com esse tema, a Inspiração!

dancingnight_jatefalei_afterhoursA inspiração direciona seu olhar, é um norte daquilo que você quer registrar. Embora seja muitas vezes arrebatadora e devastadora, com muito esforço e muita prática pode ser domada. Mas precisa ser alimentada, conquistada, aos poucos é preciso construir uma relação.

nicelegs_jatefalei_afterhoursObserve o mundo de novas formas, procure sempre um novo olhar sobre aquilo que já foi olhado. Tenha certeza que a cada dia milhões de novas fotos do pôr ou nascer do Sol são feitas, mas crie a sua! Procure uma forma que nunca foi feita antes! Vá além, sendo um fotógrafo, sua inspiração não precisa ser apenas visual, você pode transformar praticamente qualquer linguagem em imagem. Texto, poesia, música, dança, acredite, qualquer coisa pode se tornar uma boa idéia para uma série fotográfica.

mesadebar_jatefalei_afterhoursWellington, particularmente para esta exposição, escolheu um filme, “After Hours” de Martin Scorcese, e emprestou sua estética para escolher entre suas fotografias aquelas que fariam parte dessa série homônima.

Da minha conversa com cada artista aprendi que apesar de ser interessante conhecer o indivíduo por trás da obra, devemos observá-las com nossos próprios olhos com nossos próprios olhares, e só assim o ciclo se fecha e a arte alcança seu objetivo.

A inspiração direciona seu olhar, é um norte daquilo que você quer registrar, são suas referências.

Abaixo vou deixá-los com um trailer para o filme “After Hours” e com o link para a série completa de Wellington Rockers na Galeria Porão.

http://www.galeriaporao.com.br/wellington-rockers

Estilo de vida saudável

estilo_de_vida_saudavel

Estilo de vida saudável engloba muito mais do que uma boa alimentação, engloba você como um todo, mente e fisico alinhados. Podendo prevenir doenças, diminuir sintomas, combater o envelhecimento, controlar o peso e nos desintoxicar no sentido físico e emocional também…

Hoje depois da cirurgia bariátrica posso dizer que consegui mudar minha vida e manter um estilo de vida mais saudável. Aliás aqui em casa agora mantemos um estilo de vida mais saudável. Consegui utilizar a cirurgia bariátrica como iniciativa para uma mudança radical de hábitos não só alimentares mas de vida mesmo.

O início de um estilo de vida saudável no meu caso começou na nutricionista a santa Nádia que eu sempre falo que conseguiu mudar meu modo de pensar diante dos alimentos. Não é um milagre de uma consulta, é um esforço e dedicação, a Nádia me acompanha com consultas regulares há 2 anos e meio. Não pense você que uma consulta na nutricionista muda sua vida e pronto!

É como as pessoas que pensam que apenas o fato de se matricular na academia já estão praticando exercício fisico… Só a matricula não adianta, é necessário frequentar a academia com dedicação para obter resultados.

E por último e não menos importante, do que a alimentação e o exercício físico, vem a saúde emocional, exercitar a mente e combater o estresse, o nervosismo, a raiva e a tristeza. São alicerces para um estilo de vida saudável e mais feliz.