DA PRIMEIRA À SÉTIMA ARTE: A INSERÇÃO DO CINEMA E DO TEATRO NO MUNDO

Sei que adora cinema e teatro porque está aqui lendo minha coluna. Mas já parou para pensar como tudo isso foi criado, da onde surgiu, quem teve a ideia? Acho uma ótima maneira para começar a coluna, afinal um bom cinéfilo e amante das artes precisa saber algumas informações básicas!

Sala de teatro à esquerda, sala de cinema à direita

Bom, podemos afirmar que tanto o teatro quanto o cinema começaram ainda na pré-história. “Oi? Como assim pré-história? Tinha aparelhos, câmeras e projetores na época?”

Todo o estudo arqueológico e histórico da humanidade mostra como o homem empenhava-se em registrar o movimento. Tanto no desenho quanto na pintura, era possível ver uma narrativa com as sequências de imagens. Os rituais de caça e de adoração aos deuses foram as primeiras encenações. É aí que os caminhos dessas artes se cruzam…

O TEATRO

Teatro Grego em Ruínas
Teatro Grego em Ruínas

O teatro na época primitiva baseava-se no observar dos homens em relação à caça dos animais e apresentar isso a outro homem para mostrar como os animais faziam. Essas encenações, por menos elaboradas que fossem foram aperfeiçoando-se com o passar do tempo. Então aparecem os mitos egípcios, que consolidavam a real encenação – leia-se como ato de convocar o público para assistir uma encenação, fazer disso um evento.

mascaras_teatro_grego
Tradicionais máscaras do teatro grego.

O teatro teve o maior passo de desenvolvimento na Grécia, onde as manifestações em homenagem ao Deus do Vinho, Dionísio (ou Baco – em Roma), aglomeravam multidões a cada nova safra da uva. Para organizar os rituais, os Corifeus surgiram e tornaram disso um espetáculo e para comunicar-se com a plateia (em média 20 mil pessoas). Téspis foi o primeiro organizador e consequentemente o primeiro ator da história do teatro. Os integrantes, denominados Coro, usavam máscaras com expressões afim de apresentar claramente as intenções da encenação.

Com o passar dos séculos, o teatro consolidado na Grécia espalhou-se pelo mundo e as formas de encenação foram se aperfeiçoando. O teatro então torna-se a 5ª arte.

O CINEMA

Irmãos Lumiére, em 1895
Irmãos Lumiére, em 1895

O cinema nasceu em 1895, a partir das ideias dos irmãos Lumière, proprietários da Usine Lumière – empresa que fabricava películas fotográficas. Os irmãos criaram um aparelho chamado Cinematógrafo, que consiste em registrar um monte de imagens em sequência, dando a ilusão de movimento da imagem. Seus filmes resumiam-se em filmagens dos funcionários da fábrica de sua família, o almoço de um bebê, o movimento do mar, entre outros neste formato documentário. Eram filmes curtos, de mais ou menos dois minutos de duração e foram apresentados ao público em 28 de Dezembro daquele mesmo ano, no Grand Café, em Paris. Thomas Edison teve significativa importância no desenvolvimento do cinema.

Cinematógrafo, invenção que filmava, projetava e revelava filmes.
Cinematógrafo, invenção que filmava, projetava e revelava filmes.

Suas invenções levaram os irmãos Lumière à criação do Cinematógrafo e mesmo depois, ele próprio aperfeiçoava os equipamentos. Em seguida apareceu Georges Méliès (ator, produtor, diretor, fotógrafo, dramaturgo e figurinista), que depois de assistir a uma das exibições dos irmãos Lumière, resolveu usar seus dotes artísticos criando o famoso cinema de ficção. Georges foi imortalizado pelas produções “La Voyage dans la lune” e “La Conquête du Pole”, além de sua história inspirar “A Invenção de Hugo Cabret”, sucesso de Martin Scorcese em 2011.

Cena clássica do filme "La Voyage dans la lune", de Georges Méliès.
Cena clássica do filme “La Voyage dans la lune”, de Georges Méliès.

Por três décadas, as produções tentavam casar imagens com sons, o que não deu certo neste período. Então, os filmes eram exibidos com músicas ao vivo ou aqueles famosos diálogos que apareciam na tela cortando as cenas (um exemplo disso é o filme “O Artista”, produção de 2011 e vencedora do Oscar de Melhor Filme, produzido neste formato). Charles Chaplin foi o verdadeiro rei do cinema mudo e mesmo após a sonorização, permaneceu com esse formato em suas produções. Neste período, os estúdios experimentavam técnicas de sonorização, mas tinham muitos problemas com sincronização de imagem e áudio, tendo sua operação muito complicada de ser executada.

Cartaz de "The Jazz Singer", o primeiro filme falado e cantado.
Cartaz de “The Jazz Singer”, o primeiro filme falado e cantado.

Até que a Warner Brothers, em 1927 apareceu com o filme “The Jazz Singer”, primeiro filme falado e cantado da história. Tudo isso porque comprou um aparelho de gravação magnética em película, criado pelo americano Lee de Forest. Então o cinema torna-se a sétima (e mais completa) arte: a que une todas as outras seis artes no mesmo formato.

De lá pra cá o cinema passou por muitos momentos de crise, glória e épocas que chamamos de anos dourados, onde produções como Casablanca, o Vento Levou, Cidadão Kane mudaram o rumo do cinema, tornando-o essa indústria bilionária que é hoje.


É quase que impossível de imaginar um mundo sem cinema, sem teatro. Alguns podem até negar ou afirmam que não gostam/precisam, mas o teatro e o cinema estão presentes na vida de 98% da população mundial. Seja no momento em que você liga a televisão até o momento em que você vai explicar algo a alguém gesticulando. Afinal de contas, foi desta maneira que surgiu a encenação!

Pessoal, a partir da semana que vem, os posts da minha coluna CINEMA E TEATRO sairão às SEXTAS-FEIRAS!

Anúncios

3 comentários em “DA PRIMEIRA À SÉTIMA ARTE: A INSERÇÃO DO CINEMA E DO TEATRO NO MUNDO”

Comente este Post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s